Espécie invasora “PlasticusMaritimus” chegou a Monchique

Vila de Monchique será invadida por seres marinhos criados com peças de plástico encontradas na praia

O projeto ambiental “PlasticusMaritimus”, de Ana Pêgo, é a mais recente proposta do Pegadas de Utopia, que vai decorrer em Monchique até ao dia 23 de Agosto.

Com este projeto, a artista portuguesa e a equipa que organiza o evento visam construir «desejos para o oceano» e refletir «sobre a importância de todos sermos guardiões do mar».

O Pegadas de Utopia «é um projeto cultural e educativo que cruza as artes e o ambiente e que, através de dinâmicas comunitárias, cria uma comunidade de aprendizagem que reflete sobre temas da sociedade contemporânea e contribui para a criação artística na vila de Monchique, desenvolvendo culturalmente o território e contribuindo para a formação de novos públicos».

E a educação ambiental é, precisamente, a praia do “PlasticusMaritimus”. «A cada hora que passa, mil toneladas de plástico vão parar aos oceanos. O equivalente a um camião cheio de plástico, por minuto! Já é tempo de fazermos alguma coisa», resumem os organizadores do evento.

«Inspirados em tudo o que já ouvimos sobre o fundo do mar, vamos criar seres marinhos com peças de plástico encontradas na praia. São seres efémeros. Podemos fazer e desfazer quantos quisermos, as vezes que quisermos e a imaginação nos permitir. Deles, ficará apenas um registo fotográfico. Por fim, deixamos no estendal um desejo para o planeta. Ao longo do dia, o estendal vai crescendo com os desejos e compromissos de todos os participantes», acrescentam.

 

 

Tudo isto terá o dedo de Ana Pêgo, que se licenciou em Biologia Marinha e Pescas na Universidade do Algarve, onde esteve vários anos como assistente de investigação em projectos na área das Pescas.

«A Ana foi das primeiras ativistas portuguesas no que toca ao problema do plástico. Alertou para este problema quando ainda ninguém falava neste assunto. Assim, tem tido oportunidade de realizar oficinas, palestras e exposições em todo o país e, em locais como Fundação Calouste Gulbenkian, Centro Cultural de Belém e Maat- museu de Arte Arquitectura e Tecnologia», dizem os organizadores do Pegadas de Utopia.

Recentemente, editou o livro “Plasticusmaritimus, uma espécie invasora”, escrito em co-autoria com Isabel Minhós Martins e ilustrado por Bernardo P. Carvalho, uma publicação da editora Planeta Tangerina.

O Pegadas de Utopia é coordenado por Joana Cordeiro, que é, igualmente, co-responsável pela programação do evento, em conjunto com Alice Duarte e Liliana Rodrigues.

 

Fotos: Pegadas de Utopia

Comentários

pub
pub