pub
Imprimir

Novo hotel de luxo do Grupo Pestana prevê construir 100 alojamentos para os seus trabalhadores

O futuro hotel de luxo Pestana Quinta da Amoreira, em Alvor, cuja primeira pedra foi ontem colocada com a presença do ministro da Economia, é duplamente pioneiro: será o primeiro «all inclusive de 5 estrelas» construído de raiz em Portugal e contempla a construção de 100 alojamentos para um terço dos trabalhadores que irá empregar.

É que a mão de obra qualificada, e em quantidade, de que irá necessitar a nova unidade hoteleira é um problema a resolver até à sua abertura, anunciada pelo próprio Dionísio Pestana para «o Verão de 2019».

O ministro Manuel Caldeira Cabral disse que no Algarve, «a instabilidade do emprego marcado pela sazonalidade é um problema».

E o que se pretende aqui, no futuro Pestana Quinta da Amoreira, é precisamente contrariar essa sazonalidade, criando emprego permanente, ao longo de todo o ano.

Mas, tendo em conta a escassez de mão de obra no Algarve – de que se queixam as lojas prestes a abrir nos novos Mar Shopping e Designer Outlet Algarve, junto ao IKEA – há que atrair trabalhadores de fora da região…e resolver de uma assentada dois dos seus principais problemas, o alojamento e o transporte.

Mas há também que apostar na formação desses futuros trabalhadores. «300 postos de trabalho diretos não é despiciendo», salientou Isilda Gomes, presidente da Câmara de Portimão, na cerimónia da primeira pedra. «Mas o Instituto do Emprego e Formação Profissional vai ter muito de pedalar, de modo a termos ativos devidamente preparados, trabalhadores de qualidade num hotel de 5 estrelas», acrescentou a autarca.

O futuro Pestana Quinta da Amoreira, que representa um investimento de 50 milhões de euros do Pestana Hotel Group, será um hotel dividido em pequenos edifícios, de um ou dois pisos, espalhadas pelos 12,8 hectares da antiga Quinta da Amoreira, perto de Alvor.

O novo hotel 5 estrelas, que terá capacidade para 450 unidades de alojamento (388 quartos e 62 suites), tem projeto da equipa da casa, coordenada pela arquiteta Iliana Rosendo França, fará uma «forte aposta nas energias renováveis», e no interior do complexo «só se poderá andar a pé ou com veículos elétricos». Terá ainda «amplas zonas verdes» e «a grande amoreira que dá nome ao local será preservada», em conjunto com «a maioria das árvores existentes», como anunciou Pedro Lopes, administrador do Pestana Hotel Group para o Algarve.

Pedro Lopes, Dionísio Pestana, Manuel Caldeira Cabral, Isilda Gomes e João Vieira

«Portugal vive um bom momento no Turismo, que está a crescer e a dar contributos importantes para as exportações e o emprego», disse Manuel Caldeira Cabral, para logo acrescentar: «projetos como este que estamos aqui a anunciar garantem que vamos crescer ainda com mais qualidade».

Mas, mesmo na cerimónia da primeira pedra do complexo, havia quem torcesse o nariz ao conceito de «all inclusive/tudo incluído», ainda que para o segmento de luxo e de famílias, anunciado pelo maior grupo hoteleiro internacional de origem portuguesa para este seu novo investimento de 50 milhões de euros.

E o administrador Pedro Lopes explicou a aposta: «será um all inclusive 5 estrelas, a exemplo das Caraíbas», um conceito que o Grupo Pestana já experimentou no Porto Santo, com muito sucesso, quer em termos de ocupação e negócio, quer quanto a prémios ganhos a nível nacional e internacional. «Esta é a fasquia que temos de atingir ou ultrapassar», disse o administrador, virando-se para quem com ele trabalha no Algarve.

A nova unidade, a primeira do género construída de raiz em todo o país, «vai atrair ao Algarve e a Portimão clientes de all inclusive 5 estrelas que hoje estão espalhados por resorts de todo o mundo», garantiu Pedro Lopes.

E, tendo em conta tudo o que o futuro Pestana Quinta da Amoreira terá para oferecer – quatro restaurantes (dos quais dois temáticos), três bares e seis piscinas, onde se inclui uma piscina para crianças, inserida na ampla área do Kids Club, feita a pensar nos mais pequenos, e uma piscina coberta inserida no Spa do hotel, ginásio, quatro salas de massagens, sauna e banho turco – os hóspedes, como acontece em qualquer all inclusive, mesmo de luxo, nem terão de sair de lá…apesar de terem a praia de Alvor ou o campo do Alto Golfe a curta distância, acessíveis a pé.

E, a julgar pelas imagens do vídeo apresentado, os hóspedes até pensarão estar num qualquer resort das Caraíbas, nem se apercebendo que, na realidade estão no Algarve, em Portugal, tal a quantidade de palmeiras que parece que serão usadas nos espaços verdes.

Isto apesar de o administrador Pedro Lopes ter garantido que o projeto de integração paisagística, a cargo do arquiteto paisagista Fausto Nascimento, irá preservar a maioria das árvores existentes na antiga quinta, em especial a amoreira, que lhe dá nome. Como resultará a mistura de alfarrobeiras com palmeiras é algo a ver, dentro de dois anos, quando o hotel de luxo abrir as suas portas.

Na cerimónia no Hotel Alvor Praia, que antecedeu a deslocação ao local onde começa agora a ser construído a nova unidade, a autarca Isilda Gomes, voltando-se para o empresário Dionísio Pestana, disse-lhe: «ousar projetos desta qualidade e dimensão é um enorme upgrade para Portimão».

Mas a presidente da Câmara salientou ainda que, depois de durante 50 anos não ter sido criado mais nenhum hotel de luxo em Portimão, agora o concelho está prestes a «duplicar o número de hotéis de 5 estrelas».

É que há um ano abriu o Pestana Race, no Autódromo Internacional do Algarve, o qual, segundo disse Pedro Lopes, «trabalha muito bem fora do Verão, sobretudo com o mundo motorizado, que é um segmento que estamos a desenvolver», agora foi lançada a primeira pedra da nova unidade de luxo do Grupo Pestana, e há ainda um outro grande investimento na calha, de outro grupo empresarial, também para a zona de Alvor, mas na área do Turismo de Saúde.

 

Fotos: Elisabete Rodrigues|Sul Informação

 

Vídeo de apresentação do novo Pestana Quinta da Amoreira:

Comentários

pub