Algarve preparado para combate a incêndios rurais complexos após exercício de 36h

Exercício decorreu nos dias 13 e 14

O habitual exercício final, que encerra o exigente programa de aprontamento do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) no Algarve decorre este ano nos dias 13 e 14 de Maio com um cenário fictício de grande incêndio rural nos municípios de Silves e de Loulé. 

De acordo com a Proteção Civil, o exercícios realizou-se num local «com grande potencial de desenvolvimento» de incêndios e envolveu mais de 400 participantes de 56 entidades intervenientes nas diferentes dimensões do Plano de Operações Regional, subsidiário da Diretiva Operacional Nacional n o 02 que institui o DECIR, testando, pela primeira vez e com esta abrangência, toda a linha de resposta, ininterruptamente, ao longo de 36 horas.

O exercício “DECIRALG ́24” teve como principal objetivo «exercitar a articulação operacional entre os níveis de atuação (Municipal e Regional), com destaque para a interação entre áreas municipais e o Comando Regional de Emergência e Proteção Civil do Algarve, numa ocorrência de dimensão supramunicipal».

As primeiras 12 horas foram jogadas na modalidade de Comunications Exercise (COMMEX), para testar procedimentos e o fluxo de informação e comunicações que resultam da elevação do Estado de Alerta Especial (EAE) e pelas 00h00 do dia 14 de Maio transitou para a modalidade de Command Post Exercise (CPX) e Exercício à Escala Real (LIVEX), cujo Posto de Comando Operacional funcionou na Escola Profissional de Alte, sob responsabilidade da Equipa de Posto Comando Operacional (EPCO) regional do Algarve, formatada para gerir operações complexas, já no contexto das alterações recentemente operadas no Sistema de Gestão de Operações (SGO).

 

 

Além das dinâmicas práticas, que aproximaram os meios e recursos aos desafios de um cenário desta natureza, foram simuladas situações de emergência no Teatro de Operações, entre as quais acidentes multivítimas, limitações técnicas nos veículos e a particularidade do combate e proteção na interface urbano/rural, tendo sido levados a cabo, em conjunto com o Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC) de Loulé, exercícios de evacuação na freguesia de Alte, no âmbito dos Programas “Aldeia Segura” e “Pessoas Seguras” refletidos na Resolução do Conselho de Ministros n.o 157- A/2017, de 27 de outubro.

Paralelamente, foram implementadas as áreas da Zona de Concentração e Reserva (ZCR) para sustentação logística das operações e uma Zona de Concentração e Apoio à População (ZCAP) em S. Marcos da Serra, no concelho de Silves, com capacidade para acolher mais de uma centena de pessoas deslocadas e respetivos animais de companhia.

Nove Equipas de Reconhecimento e Avaliação de Situação (ERAS) de nível regional e municipal, asseguraram um constante fluxo de informação entre o terreno e os centros de decisão, contribuindo para um processo de decisão operacional, mas assertivo e foi alimentada uma dinâmica de informação pública gerida por técnicos de comunicação dos Municípios;

No Post Exercise Discussion (PXD), realizado no final da tarde de terça-feira no auditório da Escola Profissional de Alte, esteve presente Vitor Aleixo, presidente da Câmara de Loulé, Rosa Palma, presidente de Silves, Vítor Vaz Pinto e Abel Gomes, comandante e 2º comandante Regional do Algarve, e Richard Marques, comandante Sub-Regional do Algarve.

De acordo com a Proteção Civil, nesta fase final «foi possível aferir os aspetos consolidados, validar procedimentos e identificar oportunidades de melhoria, com o contributo de todas as entidades participantes, designadamente: Todos os Corpos de Bombeiros e SMPC da Região, AFOCELCA, Associação de Caçadores, Autoridade Marítima Nacional, Cruz Vermelha Portuguesa, Forças Armadas, Guarda Nacional Republicana, Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, Instituto Nacional de Emergência Médica, Juntas de Freguesia, Polícia Judiciária, Segurança Social, Veterinários Municipais, entre outras entidades cooperantes integrados nas estruturas locais de proteção civil».

 

 



Comentários

pub