pub
Imprimir

Antiga serração de Monchique volta a “trabalhar” madeira no “até já” do Lavrar o Mar

La Cosa

A antiga serração de Monchique vai voltar a ter madeira a ser “trabalhada” no seu interior, pelo grupo La Cosa, e os Carabosse vão “incendiar” o Castelo de Aljezur, no próximo fim de semana.

Estes dois dos espetáculos, que fazem parte da programação do Festival Internacional de Artes Performativas, marcam o “até já” do projeto “Lavrar o Mar“, uma vez que os promotores acreditam que «pode ter sido criada uma dinâmica imparável para o futuro», a nível cultural, em Monchique e Aljezur.

Sobre o espetáculo dos belgas La Cosa, que vai ser apresentado na antiga serração de Monchique, nos dias 26, 27 e 28 de Maio, sempre às 19h00, Madalena Victorino, uma das responsáveis do projeto Lavrar o Mar, explica que «a partir da linguagem do novo circo, serão feitas acrobacias com toros de madeira, que se erguem em estruturas escultóricas de grande beleza».

Segundo a coreógrafa, este espetáculo, realizado naquele local «pretende homenagear uma das grandes empresas de Monchique, que já encerrou. O senhor Joaquim foi o seu grande impulsionador, trazendo máquinas de toda a Europa, para fazer uma serração à escala europeia. Esse império caiu e agora é dele que se vai erguer esta madeira a saltar».

No que diz respeito ao espetáculo de fogo de Carabosse, em Aljezur, depois de uma primeira instalação, no último fim de semana, que era para ser apreciada ao longe, no dia 27, às 21h00, o fogo “invade” o interior do castelo.

Carabosse

«O público é convidado a entrar no castelo, a passear no seu interior, onde haverá uma instalação musical. O percurso, ladeado pelas instalações com fogo, começa na parte de baixo da vila e vai-se intensificando até à apoteose, no castelo. Serão cerca de 1500 vasos de terracota, com cera, a ser instalados neste espetáculo», revela Giacomo Scalisi, co-responsável do “Lavrar o Mar”, ao Sul Informação.

«O fogo cria um certo silêncio na audiência, há um certo respeito, é uma experiência, que leva o público a ficar concentrado na sua envolvência. Cria-se um fenómeno muito particular. Já aconteceu no sábado passado e, este fim de semana, as pessoas são convidadas a estar lado a lado com o fogo», acrescenta.

As apresentações de La Cosa e de Carabosse são consideradas os «highlights» do fim de semana, mas a programação do festival tem mais propostas.

Em Monchique, também na antiga serração, nos dias 26, 27 e 28, apresenta-se o Petit Théâtre de Gestes, às 21h3o, num espetáculo que alia a magia do circo, do teatro de objetos, da dança e das marionetas.

Já com “Dans l’Atelier”, o teatro de marionetas vai passar pelos dois concelhos. Este espetáculo, que vai desafiar crianças e adultos a brincar com uma marioneta durante 18 minutos, é apresentado na Moagem, em Aljezur, no dia 26, às 10h00, 11h00 e 12h00 e, no dia 27, às 16h00, 17h00 e 18h00. Em Monchique, será a Sala de Estudos a receber esta proposta, no dia 28, às 15h00, 16h00 e 17h00.

Soleil Couchant

Também através de uma marioneta será contada a história de “Soleil Couchant” (O Sol a pôr-se). A companhia de teatro Tof Théâtre vai apresentar esta peça na Praia da Arrifana, nos dias 26 e 27 de Maio, às 20h30.

O “Gatilho da Felicidade”, de João Galante e Ana Borralho, que foi apresentado, em Monchique, no passado fim de semana, vai ser “disparado”, no auditório da Escola EB 2,3 de Aljezur, na sexta-feira, às 21h30.

A programação completa pode ser consultada aqui e os bilhetes para os vários espetáculos podem ser adquiridos aqui.

Fique atento ao Sul Informação, porque vamos ter bilhetes para oferecer para La Cosa, em Monchique.

“Lavrar o Mar” é um projeto financiado pelo programa «365 Algarve» e pelas Câmaras Municipais de Aljezur e de Monchique.

Comentários

pub
pub

Em foco

pub
Logo Lugar ao Sul
pub
pub