pub
Imprimir

Fifi deu a cara e sensibilizou alunos do Agrupamento João da Rosa para o abandono animal

Dia Animal João da Rosa_2016_2Fifi é uma caniche e, como muitos outros animais, teve um início de vida bem difícil. A agora jovem cadela nasceu «numa “fábrica de cães”, um local onde estes animais são criados às centenas, sem condições nenhumas». Foi salva pela polícia, juntamente com outros 200 cachorros que estavam a ser transportados numa carrinha, e dada para adoção.

A história de Fifi foi contada por Carla Pacheco, que a adotou quando era ainda bebé, aos alunos de escolas de Olhão. As sessões, que tiveram como estrela principal a caniche, foram realizadas no Dia Mundial do Animal, no âmbito de uma iniciativa da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento João da Rosa, de Olhão, em parceria com associação ADAPO e com o Agrupamento,  e com o apoio de várias entidades públicas e privadas.

Ao longo da manhã, Carla Pacheco e Paula Pereira, da associação de pais, e Célia Caravela, presidente da Associação de Defesa dos Animais e Plantas de Olhão (ADAPO), acompanhadas pela Fifi, percorreram as diferentes escolas do 1º ciclo do Agrupamento João da Rosa.

Na Escola EB1 nº 6, no Siroco, onde o Sul Informação as foi encontrar, os alunos não escondiam a empatia com a cadela, ao conhecer a sua história de vida. E não pouparam os mimos à bem aprumada caniche, no final de cada sessão, uma por sala.

Talvez encorajados pelo olhar meigo e pela tranquilidade de Fifi, muitos alunos quiseram, eles próprios, contar histórias sobre animais, fosse a sua experiência pessoal com o animal de estimação lá de casa, fossem situações de abuso que presenciaram, mas também de bons exemplos que conhecem.

«O dia está a ser ótimo. Estas ações de sensibilização são muito importantes, para chamar a atenção que os outros animais, no fundo, sentem o mesmo que nós: medo, fome, frio e alegria. Os miúdos acolhem muito bem a mensagem», considerou Célia Caravela.

A ADAPO esteve presente nesta ação, de cariz mais pedagógico, e é a instituição que será beneficiada com uma campanha de recolha de alimentos para animais, lançada esta terça-feira dentro do Agrupamento e que dura até 14 de Outubro. Nesse dia, serão feitas as contas, para ver qual foi a turma que mais bens recolheu, a qual será presenteada com uma ida aos cinemas do Ria Shopping, em Olhão, oferta do proprietário deste espaço.

 

Dia Animal João da Rosa_2016_1

 

Após as sessões de hoje, as crianças do 1º ciclo do Agrupamento receberam outro presente, um livro de colorir relativo aos Direitos Universais dos Animais. Já os alunos mais velhos do João da Rosa (2º e 3º ciclo) vão desfrutar de uma demonstração das equipas cinotécnicas da PSP (cão e homem), esta tarde, a partir das 15h00.

Esta iniciativa é realizada numa altura em que, «infelizmente, se regista um aumento do número de abandonos». A ADAPO tem naturais dificuldades em responder a todas as solicitações, mas, diz Célia Caravela, a sociedade olhanense tem sido um grande aliado da associação.

«Neste momento, temos um refúgio para gatos com 150 animais. Também temos cães com famílias de acolhimento e também no canil municipal, que não é de abate. Temos uma boa relação com o veterinário municipal e, de resto, com todos os veterinários de Olhão. Neste momento, a cidade de Olhão funciona muito bem a esse nível. Nós sentimos que a população está connosco e que acarinha os seus animais, mesmo os de rua», assegura a presidente da ADAPO.

Carla Pacheco, que pertence à associação de pais, revelou que este foi «o primeiro grande projeto deste ano, de um conjunto de iniciativas que fazem parte da programação da associação». «O abandono dos animais é um grande flagelo e é algo muito grave. E evitá-lo passa pela educação cívica da população. Se começarmos no pré-escolar e no Ensino Básico, acho que podemos ter sucesso», ilustrou.

A iniciativa contou com o apoio da Junta de Freguesia de Olhão, «que imprimiu os livros de colorir que foram distribuídos», da Câmara olhanense, da Algarcine do Ria Shopping e, claro, das escolas. «Tivemos uma receção a cem por cento. Não houve um único professor nem uma única sala que não quisesse ter a nossa visita», ilustrou Carla Pacheco.

 

Veja as fotos da visita à escola nº6 de Olhão:

 

Comentários

pub