pub
Imprimir

Uma tarde na horta das Carmelitas, com guias turísticos, militares e outros lacobrigenses

Neusa Dias foi frade, a recordar os tempos em que ali era a horta das freiras carmelitas do Convento de Nossa Senhora do Carmo, foi guia turístico, a falar de Lagos como porto de entrada e de saída, de pessoas e de povos, pelo mar, foi governador da praça de armas queixoso da falta de meios bélicos para se defender dos espanhóis, e foi um nativo de Lagos, desesperado com a destruição causada pelo terramoto de 1755. E terminou a jornada, comendo uma laranja da atual horta social.

Tendo como pano de fundo e motivo a muralha renascentista de Lagos, a atriz deu corpo a todas estas personagens, atravessando assim os séculos, no espetáculo «Sítios com História», produzido pela Associação Vicentina, no âmbito da programação do 365Algarve.

Para o grupo de uma dúzia de pessoas que assistiu ao espetáculo, seguindo a atriz ao longo de um troço das muralhas, até um dos seus baluartes, de onde se avistava a cidade e a baía, ao fundo, foi uma hora e meia bem passada. Para os horticultores que por ali cuidavam das suas couves, abóboras e outros legumes, nas hortas sociais, foi motivo de curiosidade.

Em Maio do próximo ano, haverá mais «momentos fantásticos com o património», com a atriz Neusa Dias a conduzir os participantes até ao Monte dos Amantes, sítio megalítico do concelho de Vila do Bispo.

Fotos: Elisabete Rodrigues|Sul Informação

Comentários

pub