Universidade do Algarve começa requalificação da quarta residência

Intervenção deverá estar concluída a 6 de Setembro

A Universidade do Algarve começou, no passado dia 13 de Maio, a renovar a Residência Universitária da Penha, a quarta residência a ser alvo de intervenção, que deverá estar concluída até 6 de Setembro. 

A intervenção na Residência Universitária da Penha incidirá sobre 102 camas e implica um investimento total que rondará os 1,4 milhões de euros, financiados pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) em cerca de 80%.

Esta é a quarta renovação, tendo sido já renovadas três (Ferragial 16, Ferragial 17 e Lote E), num total 237 camas, com um investimento de cerca de 3,5 milhões de euros, financiados pelo PRR igualmente em cerca de 80%.

Inseridas no Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior (PNAES), desenvolvido no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), as residências renovadas e as já aprovadas para renovação representam um total de financiamento do PRR de cerca de 5 milhões de euros.

De acordo com a UAlg, em relação à requalificação das residências, fica apenas a faltar a renovação de duas (Berlim e Lote O), num total de 91 camas, o que irá ocorrer de forma seque

A universidade destaca ainda o lançamento do concurso para empreitada de duas novas residências, num total de 287 novas camas, previsto para a segunda quinzena de Junho de 2024, também com financiamento do PRR.

Ainda a aguardar resultado de candidatura a financiamento, terminou no passado dia 12 o concurso para a empreitada da adaptação do Lote 36 para a função de residência, num total de 10 quartos, com um preço base s/IVA de 391.563,36 euros e um prazo de execução de 90 dias.

«Em relação às requalificações, refira-se que a melhoria da qualidade de vida e da habitabilidade está subjacente a todas as intervenções. Para atingir os objetivos propostos, serão implementadas medidas que terão em conta o comportamento térmico e a eficiência energética. As intervenções incidirão, entre outros aspetos, na substituição de envidraçados, luminárias e do sistema de águas quentes sanitárias; implementação de um central fotovoltaica para autoconsumo; instalação de equipamentos de climatização tipo bomba de calor; gestão técnica centralizada», refere a UAlg em nota.

«As questões relativas ao alojamento são uma das maiores preocupações da Universidade do Algarve, que continua empenhada em providenciar alojamento de qualidade, contribuindo para um melhor conforto e segurança dos seus estudantes», remata a instituição.

 

 



Comentários

pub