Diogo Piçarra, Ana Moura, Calema, Plutónio e Maninho dão música ao Festival do Marisco de Olhão

36ª edição do evento já tem data marcada

Diogo Piçarra, Ana Moura, Calema, Plutónio e Maninho vão ser os cabeça-de-cartaz de mais uma edição do Festival do Marisco de Olhão, que vai ter lugar entre os dias 10 e 14 de Agosto, no Jardim Pescador Olhanense.

Além da música, que tem sido desde há muitos anos uma forte aposta da Câmara de Olhão, que organiza o evento, a 36ª edição deste festival volta a ter como grande atrativo o marisco local, muito dele proveniente da Ria Formosa, mesmo ali ao lado.

Logo no primeiro dia de festival, 10 de Agosto, sobe ao palco a dupla Calema, composta pelos «irmãos Fradique e António Mendes Ferreira, que se  instalaram no país há alguns anos, vindos de São Tomé e Príncipe», segundo a Câmara de Olhão.

No dia 11, será a vez de Ana Moura dar um espetáculo onde, entre muitos outros temas emblemáticos da fadista portuguesa, constará, com certeza, o tema “Andorinhas”, cujo videoclipe foi gravado na  cidade cubista.

A 12 de Agosto, atua Plutónio, um rapper proveniente do bairro da Cruz Vermelha, em Cascais, que «representa o “real gangsta rap” e o R&B em português, e tem vindo a explorar cada vez mais os afrobeats».

Diogo Piçarra, natural da vizinha cidade de Faro, vai subir ao palco a 13 de Agosto, para mostrar «a versatilidade que faz com que seja considerado um dos maiores talentos portugueses da atualidade pelos seus pares e pelo público, que o segue religiosamente».

O último dia de festival contará com um concerto de Maninho, artista brasileiro que está a viver em Portugal há vários anos, «onde se afirmou, apesar da sua juventude, como um dos melhores guitarristas no nosso país, tocando, entre outros, com artistas como Mariza, Héber Marques ou Bárbara Bandeira».

 

 

Leia mais um pouco!
 
Uma região forte precisa de uma imprensa forte e, nos dias que correm, a imprensa depende dos seus leitores. Disponibilizamos todos os conteúdos do Sul Infomação gratuitamente, porque acreditamos que não é com barreiras que se aproxima o público do jornalismo responsável e de qualidade. Por isso, o seu contributo é essencial.  
Contribua aqui!

 



Comentários

pub