Programa cultural que junta cinco municípios algarvios arranca a 10 de Outubro

Este projeto intermunicipal prevê a implementação de um programa de oferta cultural em rede

O “Central Artes – Programação Cultural em Rede”, que junta cinco municípios do Algarve Central (Loulé, Albufeira, Faro, Olhão e Tavira) arranca no próximo dia 10 de Outubro, às 18h00, com o concerto “Water Return”, dos Olive Tree Dance, em formato drive-in, no estacionamento Bela Olhão. 

Este projeto intermunicipal prevê a implementação de um programa de oferta cultural em rede envolvendo os cinco municípios durante dois anos (2020 e 2021) e explorando diversos quadrantes das artes performativas, com direção artística, conteúdos e produção a cargo das empresas Eventors’Lab e Spira – Revitalização Patrimonial, tendo a programação como mote a temática da “Cultura da Sustentabilidade”.

Esta primeira fase do projeto – cuja realização estava inicialmente prevista para o primeiro semestre deste ano, mas que devido à pandemia teve de ser reagendada – contempla ainda mais quatro espetáculos.

A 17 de outubro, às 17h00, a Companhia Instável apresentará contagiantes “Percursos pela arquitetura” em vários espaços do Museu Municipal de Faro e, no mesmo dia, mas às 21h30, o grupo “A Presença das Formigas”, projeto de referência ligado à música de raiz tradicional, estreia-se em Loulé atuando no Auditório do Solar da Música Nova.

Já a 24 de Outubro, às 17h00, a cidade de Tavira acolhe o teatro de rua “Passagem” pela reconhecida Companhia PIA, a ocorrer no Jardim da Igreja de São Francisco. Já em Novembro, a 28, o Auditório Municipal de Albufeira apresenta, às 21h30, terá um concerto de Celina da Piedade.

Dado que a oferta cultural inserida neste projeto inclui, além de espetáculos de declarado valor internacional e nacional, uma vertente de formação/mediação criativa e interação com os públicos, estão previstos nos mesmos dias dos espetáculos workshops com as várias companhias e artistas envolvidos na programação.

Pretende-se assim envolver diretamente as comunidades locais nos processos performativos. Nesta medida, serão realizadas atividades de música instrumental (diggeridoo), dança contemporânea, canto tradicional português, construção de máscaras e cante alentejano dirigidas ao público em geral. Estas ações, bem como os espetáculos, terão entrada livre, limitada (requerendo inscrição prévia), e respeitando as regras de higiene e segurança em vigor emanadas da Direção-Geral de Saúde.

No mês de novembro, entre 23 e 27, realiza-se nos cinco municípios um novo workshop de cariz interdisciplinar intitulado ”Pinto-me dançando”, destinado ao público infanto-juvenil, o qual é igualmente de acesso gratuito, limitado. Já para 2021 está prevista uma ampla programação que contempla cinco espetáculos com a comunidade, cinco espetáculos internacionais e mais 20 workshops.

«Pretende-se com este projeto – e na linha do “Movimenta-te”, ocorrido em 2011 e 2012 no Algarve igualmente numa lógica de cooperação intermunicipal – fomentar e aprofundar práticas colaborativas entre os vários membros envolvidos, a circulação de espetadores no território e uma maior diversificação da oferta cultural, a pensar não só na população residente mas também nos diversos segmentos ligados ao turismo cultural, de modo inclusive a combater a sazonalidade e a consolidar gradualmente o Algarve como uma região turística de eleva notoriedade», diz a Câmara de Loulé.

Para mais informações e inscrições os interessados podem contactar os diversos municípios envolvidos nas atividades, em cujos canais de comunicação serão difundidos os diversos eventos, bem como através do email: centralartes@eventorslab.com

 



Comentários

pub