Mendonça Neves dedicou vida «à promoção da saúde mental e à cultura»

Mendonça Neves foi fundador da ASMAL e do Cineclube de Faro, entre outras

«Uma vida dedicada à promoção da saúde mental e à cultura». É desta forma que o Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve descreve o percurso de Alberto Mendonça Neves, numa nota onde manifesta um «profundo pesar» pela sua morte.

«Este é um momento de enorme tristeza pelo desaparecimento de um exemplo, para todos nós, de humanismo e altruísmo de uma vida dedicada à promoção da Saúde Mental e da Cultura na região do Algarve», segundo a ARS algarvia.

Enquanto médico psiquiatra, Mendonça Neves, que morreu ontem aos 85 anos, «destacou-se ao longo de toda a sua vida pela dedicação e pela forma apaixonada como sempre desempenhou a sua atividade».

Além de ter dirigido o Departamento de Psiquiatria do Hospital de Faro, onde implementou o Hospital de Dia da Psiquiatria, foi membro fundador e principal impulsionador da Associação de Saúde Mental do Algarve.

«Em 2009, foi distinguido com a Medalha de Mérito da Saúde, Grau Ouro, atribuída pelo Ministério da Saúde no Dia Mundial da Saúde, como forma de reconhecimento do seu profissionalismo e dedicação ao longo da sua carreira em prol da melhoria da acessibilidade de todos os cidadãos aos cuidados de Saúde Mental».

Paralelamente, foi um homem de cultura, tendo ajudado a fundar o Cineclube de Faro e a Tertúlia Farense, tendo sido, igualmente, membro do Círculo Cultural de Faro.

«À família, amigos e ASMAL, em nome de todos os profissionais de saúde do Algarve, o Conselho Diretivo da ARS Algarve endereça as suas mais sentidas condolências», concluiu a ARS do Algarve.

Comentários

pub
pub