Volta ao Algarve partiu da Cidade Europeia do Desporto para o Mundo

Prova junta os melhores ciclistas à escala mundial

Armando Araújo veio de propósito de Almada porque, além do ciclismo, adora a «alegria e o espetáculo» da Volta ao Algarve. Antoon Ottenk é holandês, mas também não perde pitada da AlgarviaEstes são apenas dois dos muitos aficionados que vão acompanhar, até domingo, 24 de Fevereiro, uma prova que partiu da Cidade Europeia do Desporto (Portimão) para o Mundo, uma vez que a transmissão televisiva chegará a 150 milhões de lares.

Ainda nem a partida tinha sido dada, junto à Zona Ribeirinha de Portimão, já Armando Araújo lá estava. Equipado a rigor, e sentado na sua bicicleta, ia olhando com atenção para a mini pista onde as crianças pedalavam.

«Todos os anos venho à Volta ao Algarve e estou presente nas partidas e chegadas. Venho sozinho, de Almada, de propósito», disse à reportagem do Sul Informação. 

Armando Araújo

«Desde miúdo» que Armando se lembra de adorar andar de bicicleta. Por isso, «iniciativas de promoção do ciclismo são muito bem vindas. Em qualquer país civilizado, as pessoas usam muito a bicicleta, até em vez do carro», considerou.

Mas, além do desporto em si, este fã de ciclismo adora o «espetáculo» da Volta ao Algarve que até consegue atrair figuras como Rosa Mota. «Isto é um pouco como um circo. Agora estão aqui, depois desmontam tudo e, daqui a umas horas, já estão noutro lado», explicou Armando Araújo ao nosso jornal.

E assim será: até domingo, a prova passa por Portimão, Lagos, Almodôvar, Fóia (Monchique), Lagoa, Albufeira, Tavira, Faro e Malhão (Loulé). Isto só nas partidas e chegadas.

Antoon Ottenk

Junto à espécie de pódio, montado para apresentar as equipas antes do arranque da Algarvia esta quarta-feira, 20 de Fevereiro, estava o holandês Antoon Ottenk. É que, além dos milhões de estrangeiros que assistem à prova na Eurosport, também há muitos que preferem ver a prova ao vivo.

«Este é o quarto ano que acompanho a Volta ao Algarve. Venho porque moro em Alvor, de Outubro a Março, e sou um grande fã de ciclismo», disse ao Sul Informação. 

Também equipado a rigor, Antoon já faz previsões para as etapas a que vai este ano: «só vou falhar as duas últimas porque são longe de Alvor. Às outras não faltarei».

Para Isilda Gomes, presidente da Câmara de Portimão, receber a partida da Volta ao Algarve foi «muito importante».

«Somos Cidade Europeia do Desporto e temos de ter grandes eventos desportivos que possam projetar o nome do concelho e da região não só no Algarve, como no país e no estrangeiro», disse ao Sul Informação. 

Até porque esta é «uma prova que tem os melhores do mundo», considerou a edil.

Um deles até é algarvio. Amaro Antunes, nascido em Vila Real de Santo António, corre pelos polacos da CCC Team e veio a casa para tentar a vitória na Volta.

«Vou lutar por isso. Já o assumimos. Vou dar tudo de mim e deixar tudo na estrada para conseguir o melhor resultado possível», confessou ao nosso jornal. Mal sabia ainda o azarado ciclista que seria afetado por uma queda coletiva, a 7 quilómetros da meta, logo na primeira etapa…

Amaro Antunes

Ainda assim, para o corredor, participar na Volta ao Algarve é um «orgulho» que transcende qualquer azar. «É praticamente a única corrida que faço em Portugal. Estar perto de casa, ter toda esta população a puxar por mim… Sinto muito orgulho nisso».

Para a vitória final, Armando Araújo e Antoon Ottenk não arriscam nenhum ciclista, mas uma coisa é certa: até domingo, os melhores vão desfilar pelas estradas do Algarve, em mais uma edição de uma prova que é do mundo.

 

Fotos: Pedro Lemos | Sul Informação

 

Comentários

pub
pub