IPMA “semeou” pé-de-burrinho ao largo da Praia da Rocha

Estação de Tavira do IPMA «é pioneira na produção artificial desta espécie»

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) semeou quase 190 mil juvenis de pé-de-burrinho frente à Praia da Rocha, em Portimão, no dia 22 de Novembro, como «medida de mitigação de possíveis impactos ambientais e/ou antropogénicos».

Esta ação de repovoamento de bancos naturais de pé-de-burrinho (Chamelea gallina) foi levada a cabo por uma equipa do IPMA – Olhão/Tavira, com a colaboração da Polícia Marítima, numa área de 940 m2 e a uma profundidade de 8 metros. Os espécimes tinham um comprimento médio de 5 milímetros.

«A equipa da Estação Experimental de Moluscicultura do IPMA em Tavira é pioneira na produção artificial desta espécie e, durante o ano de 2018, produziu 380 000 juvenis», segundo o IPMA.

O repovoamento de pé-de-burrinho frente à praia portimonense, que já foi um banco natural desta espécie, realizou-se no âmbito do projeto Venus, financiado pelo Programa Interreg Espanha-Portugal.

Comentários

pub
pub