“Faro Acolhe” quer pôr estudantes e idosos a partilhar a mesma casa

Projeto vai ser implementado pela Câmara de Faro e Universidade do Algarve

A falta de habitação para estudantes, em Faro, é um problema recorrente. No concelho, também «começa a ser uma preocupação a elevada percentagem de idosos a viverem em situação de solidão». Por isso, o novo programa “Faro Acolhe” quer combater as duas realidades, juntando estudantes e seniores a morar na mesma casa. 

«O Município de Faro recebe todos os anos um elevado número de estudantes que escolhem a Universidade do Algarve para prosseguirem os seus estudos e, em consequência desse deslocamento, existe uma cada vez maior dificuldade de acesso a alojamento no concelho», diz a Câmara.

Em paralelo, «também no nosso concelho começa a ser uma preocupação a elevada percentagem de idosos a viverem em situação de solidão ou isolamento social», acrescenta.

E, segundo a Câmara, a verdade é que «muitos destes idosos, e algumas famílias também, estão predispostos a acolher estudantes do ensino superior no seu seio familiar».

Assim, considerando estas duas realidades, aparentemente sem denominador comum, o Município de Faro e a Universidade do Algarve preparam-se para criar um programa que simultaneamente combate a solidão desses idosos, ao mesmo tempo que proporciona uma opção de alojamento para os estudantes do ensino superior não residentes no concelho, fomentando igualmente uma relação intergeracional e a promoção de sinergias e recursos sociais.

«Para a implementação deste programa irá existir um rigoroso e exaustivo processo de avaliação e posterior acompanhamento, quer dos idosos e famílias dispostas a receber os alunos, quer dos alunos que manifestem interesse em aderir ao programa “Faro Acolhe”».

Igualmente prevista está a monitorização de todos os integrantes do projeto através de reuniões, workshops, focus groups, visitas domiciliárias, contactos telefónicos, entre outras medidas que se entendam por necessárias para garantir o sucesso do programa assim como a satisfação de todos os intervenientes.

Este programa, que terá uma duração indeterminada, é, para a Câmara de Faro, «mais uma ferramenta à disposição da comunidade para dar resposta à necessidade de alojamento de jovens universitários e ao esbatimento dos fenómenos de solidão e/ou isolamento dos seniores do concelho».

Recentemente, a Universidade do Algarve deu conta da intenção de transformar a Escola Superior de Saúde em residência universitária.

Comentários

pub
pub