pub
Imprimir

Novo terminal vai poupar «dificuldades» ao Aeroporto de Faro «por bons anos»

«Não vamos ter dificuldades por bons anos», assegurou aos jornalistas o diretor do Aeroporto de Faro Alberto Mota Borges esta segunda-feira, durante uma visita ao novo terminal desta infraestrutura aeroportuária, que foi inaugurado hoje, dia 17 de Julho.

O responsável máximo pelo aeroporto algarvio falava, especificamente, da nova área de controlo de passageiros, que tem agora o triplo do tamanho (passou dos 700 para os 2 mil metros quadrados) e capacidade para processar 3 mil passageiros por hora, mas a garantia também se aplica ao número de movimentos/hora que a infraestrutura pode acolher (são agora 30, quando antes da intervenção eram 24), bem como às condições operacionais, que aumentaram.

O renovado terminal está já a trabalhar sem restrições, assegurou Mota Borges, que admite haver ainda intervenções a ser ultimadas.

«Falta apenas terminar alguns espaços comerciais. Trata-se de áreas que foram disponibilizadas há relativamente pouco tempo, onde estão a decorrer trabalhos nas infraestruturas e acabamentos. Tudo o que são funções básicas e estruturais deste projeto estão concluídas», disse o diretor do Aeroporto de Faro.

Mas poderá ser necessário «fazer ajustamentos pontuais e de pormenor», algo que considera normal e que decorre «de intervenções desta natureza».

Depois de uma visita reservada aos jornalistas, o novo terminal do Aeroporto de Faro foi inaugurado oficialmente pelo primeiro ministro.

António Costa focou o aumento de 9,5% das dormidas turísticas no país nos primeiros quatro meses de 2017 para defender que o aumento do turismo «não é conjuntural, como alguns dizem». Para o líder do Governo, «o turismo em Portugal está a crescer, porque está a melhorar a qualidade e a oferta». «É essencial continuar a trabalhar para ter turismo todo o ano», defendeu António Costa.

 

Quanto ao Aeroporto, se ainda há pormenores que faltam ou algo que funcione menos bem, isso não salta à vista de quem passa e utiliza o terminal. O que surpreendeu as pessoas que passaram esta manhã na aerogare não foi o edifício em si, mas sim as jovens a distribuir flores, chapéus, leques e chupa-chupas, os grandes balões espalhados e o ambiente de festa que se vivia.

Também ao nível da segurança o aparato era grande, principalmente a partir do momento em que António Costa chegou ao aeroporto, para ajudar a inaugurar as obras de extensão do terminal.

Muitos dos turistas que passaram por lá esta manhã não terão parado para olhar uma segunda vez para a aerogare, mas quem conhece bem o Aeroporto de Faro notará a transformação radical que este sofreu. Desde logo, ao nível da imagem, já que a ANA aproveitou para fazer uma renovação estética e dar um ar bem mais moderno ao terminal.

Mas também há grandes mudanças ao nível operacional. A zona de check in está no mesmo local, mas o controlo de passageiros passou para uma área agora construída, no primeiro andar da aerogare, e é partir deste piso que se acede à zona de embarque.

Segundo revelou o presidente executivo da ANA Aeroportos, a área operacional e pública do terminal «aumentou de 81 mil para 93 mil metros quadrados». Houve, igualmente, uma aposta em aumentar o número de espaços comerciais, nomeadamente «para venda a retalho e restauração», onde «não havia mudanças desde 2010», acrescentou Carlos Lacerda.

Este incremento da capacidade do Aeroporto de Faro acontece no seguimento de um investimento de cerca de 40 milhões de euros. Aposta feita «numa altura em que o aeroporto está a crescer mais de 18 por cento ao ano».

Para o futuro, Carlos Lacerda preconiza a captação «de mais companhias aéreas e de mais rotas, de modo a tirar partido daquilo que o novo aeroporto nos pode dar».

O ministro das Infraestruturas Pedro Marques, que acompanhou o primeiro-ministro na inauguração, foi mais longe e disse esperar «um crescimento de 50 por cento nos próximos 5/6 anos» para o aeroportos nacionais, algo que «significará mais 600 mil euros de exportações por ano para o país».

No discurso que fez, Pedro Marques não se esqueceu da prometida ligação ferroviária ao Aeroporto. «Estão em preparação os estudos prévios de viabilidade ambiental desta ligação. Já foram feitos os estudos económicos, que indicam que esta ligação será viável», assegurou o ministro.

Apesar de estar num aeroporto, rodeado por turistas e entidades oficiais, o primeiro-ministro António Costa fez questão de deixar uma mensagem a toda a população do Algarve sobre… saúde.

«No final do mês, tomaremos uma decisão de dimensão histórica que permitirá resolver os problemas estruturais da saúde no Algarve. Vamos criar o Centro Hospitalar Universitário do Algarve e criar condições para que haja mais médicos a optar por se fixar no Algarve», anunciou.

 

Fotos: Hugo Rodrigues|Sul Informação

 

Comentários

pub