pub
Imprimir

Colóquio em Faro assinala 530 anos de livro impresso em Portugal

Um colóquio sobre o “Pentateuco: comemoração dos 530 anos de livro impresso em Portugal”, está marcado para a próxima sexta-feira, 14 de Julho, entre as 9h00 e as 18h00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho do Município de Faro.

A Fundação Manuel Viegas Guerreiro, que apoia o evento, explica que «o primeiro livro impresso – Pentateuco – saiu do prelo do editor judeu Samuel Gacon e sinaliza o Algarve como a região berço da imprensa portuguesa».

O colóquio vai procurar responder a questões como: «que condições técnicas fixam a tipografia de Faro como a primeira a imprimir? Que razões histórico-culturais explicam a vitalidade produtiva de Faro?».

O roubo e a contrafacção de livros também fazem parte dos temas em análise, bem como a contextualização da vida cultural de Faro ao longo dos séculos XV-XIX, pautada pela influência dos judeus.

A investigadora Patrícia de Jesus Palma, que organiza o colóquio, explica que «o Algarve tem o direito a conhecer, a orgulhar-se e a ensinar às gerações vindouras que foi o berço da imprensa em Portugal. É, pois, mais do que justificável, é natural a criação de um Museu da Imprensa na região que assinale e que continue a promover a Cultura, as diferentes Culturas de Escrita que têm na prensa tipográfica a sua matriz».

A intenção da criação deste Museu da Imprensa já foi revelada pelo Bispo do Algarve a 30 de Junho, quando foi editada uma edição comemorativa e em fac-simile da passagem dos 530 anos da impressão do «Pentateuco». Neste dia, D. Manuel Quintas adiantou que a Diocese e a Câmara de Faro estão em conversações sobre o tema. 

 

O colóquio é uma iniciativa conjunta do CHAM-Centro de Humanidades da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e da Câmara Municipal de Faro, com o apoio da Direção Regional de Cultura do Algarve, Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes e Fundação Manuel Viegas Guerreiro.

Artur Anselmo (Academia das Ciências de Lisboa), Fernanda Maria Guedes de Campos (FCSH-UNL), Francisco Lameira (UAlg), João Alves Dias (CHAM-FCSH/NOVA- Uac), João Luís Lisboa (FCSH/NOVA-UAc), José Jorge Gonçalves (IEM; CHAM-FCSH/NOVA- UAc), José Pacheco (ISMAT) e Rui Loureiro (ISMAT; CHAM-FCSH/NOVA), são alguns dos nomes que integram o programa e que «transportarão todos os interessados pelo complexo, multifacetado e fascinante mundo da história do livro», acrescenta a Fundação Manuel Viegas Guerreiro.

Ao colóquio, segue-se uma visita à exposição Faro: Marcos de Urbanismo, a inaugurar no Museu Municipal de Faro, vai evocar a vida cultural da cidade berço da imprensa.

A entrada é livre.

O programa do colóquio pode ser consultado aqui.

Comentários

pub
pub

Em foco

Sem conteúdo para mostrar

pub
Logo Lugar ao Sul
pub
pub