Lotas de Albufeira, Olhão e VRSA sofrem alterações nos horários

Estas alterações, a nível nacional, abrangem ainda Póvoa de Varzim e Figueira da Foz

Os leilões de peixe, da primeira venda em lota, vão sofrer alterações que abrangem Albufeira, Olhão e Vila Real de Santo António, acaba de anunciar o Ministério do Mar. 

Numa nota enviada às redações, é explicado que Ricardo Serrão Santos, ministro do Mar, «decidiu reduzir o número de leilões e adaptar os horários de funcionamento do leilão de pescado da primeira venda em lota, durante a vigência do Estado de Emergência».

Assim, em Albufeira, o leilão é suspenso todos os dias da semana. Já em Olhão, apenas o leilão das 5h30 deixará de acontecer.

Por fim, em Vila Real de Santo António o leilão é suspenso duas vezes por semana, às terças e quintas-feiras e nos restantes dias começa às 10h30.

Estas alterações, a nível nacional, abrangem ainda Póvoa de Varzim (leilão suspenso às quartas e sextas-feiras) e Figueira da Foz (suspenso por duas vezes às terças e quintas-feiras).

Todas as outras lotas da Docapesca mantêm o seu normal funcionamento, sendo «aplicadas rigorosamente todas as medidas definidas durante o atual período excecional consequência da pandemia de Covid-19», explica o Ministério.

«Também foi disponibilizado o acesso gratuito ao sistema de leilão online, um canal alternativo à tradicional compra em lota».

A Docapesca, empresa do setor empresarial do Estado que tem a seu cargo a primeira venda de pescado fresco desempenha um papel crucial, pelo que os seus estabelecimentos, lotas e postos de receção e transferência de peixe irão continuar a garantir o funcionamento da cadeia de frio e as melhores condições de higiene e segurança alimentar no abastecimento de pescado à população.

Comentários

pub
pub