Lagoa abre inscrições para mais um Prémio Maria Barroso

Inscrições estarão abertas entre os dias 8 de Março e 30 de Novembro

A Câmara de Lagoa vai lançar e abrir o período de inscrições para mais uma edição do Prémio Maria Barroso numa cerimónia agendada para domingo, o Dia Internacional da Mulher, às 17h00, no Auditório Carlos do Carmo, neste concelho.

Além do ato simbólico de lançamento da segunda edição (2020/21) deste prémio bienal, a sessão de dia 8 conta, ainda, com «um espetáculo que homenageia cinco mulheres que elevaram a sua voz para cantar a igualdade de direitos», segundo a Câmara de Lagoa.

O concerto “Mulheres do Sul”, com conceção e direção musical de Adriana Queiroz e Luanda Cozetti e arranjos musicais do guitarrista andaluz Javier Patino, «convoca cinco nomes maiores da música sul americana: Chavela Vargas, Mercedes Sosa, Violeta Parra, Elis Regina e Maria Bethânia».

O Prémio Maria Barroso foi instituído pelo município de Lagoa, e este ano tem uma dotação de 15 mil euros, e visa distinguir mulheres ou homens que, individualmente ou à frente de instituições, desenvolvam um trabalho relevante nas áreas da não discriminação, da igualdade de género e cidadania.

Na 1ª edição, a distinção foi dada a Maria do Céu da Cunha Rego, jurista, com trabalho profissional e cívico no domínio da igualdade de homens e mulheres, das migrações internacionais e do apoio às comunidades portuguesas no estrangeiro

«Esta iniciativa da Câmara de Lagoa articula-se com os objetivos para o desenvolvimento sustentável. “Alcançar a igualdade de género e acabar com todas as formas de discriminação de mulheres e meninas” é o quinto desses dezassete objetivos que a ONU quer ver atingidos até ao final desta década (2030)», enquadrou a autarquia.

«Alinhado com os compromissos nacional e internacional, o Município de Lagoa integrou na sua estratégia de desenvolvimento local, dez destes objetivos (ODS). A igualdade de género está entre as prioridades que Luís Encarnação, presidente da Câmara Municipal de Lagoa, tem vindo a apontar em várias intervenções públicas, como caminho para a sustentabilidade económica, social e ambiental», concluiu a Câmara lagoense.

Comentários

pub
pub