Covid-19: Portugal com 2362 casos. Há já 33 mortos a nível nacional

Conferência de imprensa do secretário de Estado da Saúde

O número de casos de Covid-19 aumentou para os 2362 em território nacional e há mais 10 mortos do que ontem. Por outro lado, há 22 pessoas recuperadas.

A nova distribuição regional do número de óbitos é a seguinte: Norte (14), mais cinco do ontem,, Lisboa e Vale do Tejo (12), mais quatro, Centro (6), mais uma e Algarve (1).

Em conferência de imprensa, António Sales, secretário de Estado da Saúde, o boletim epidemiológico da Direção Geral de Saúde de hoje terá «um novo modelo, com mais detalhe», o que justifica o atraso na divulgação deste documento, esta terça-feira.

Um dos temas da conferência de imprensa acabou por ser a questão dos testes. António Sales garantiu que «não estamos a poupar em testes, nem em recursos financeiros. Não estamos a poupar em nada, estamos a fazer as coisas de forma racional».

 

 

«Todos os países estão a procurar soluções, Portugal não é o único. Estamos a desenvolver procedimentos para adquirir 500 ventiladores na China, que chegarão progressivamente, até meados de Abril», anunciou.

«Estão também encomendados 280 mil testes e esta semana chegarão 80 mil testes», disse, ainda o secretário de Estado da Saúde.

«Quando dizemos que temos uma capacidade diária de quatro mil testes e estamos a fazer dois mil por dia. Temos uma capacidade de testagem superior ao valor qu estamos efetivamente a testar».

Quanto aos profissionais de saúde, além dos testes que já são feitos aos que apresentam sintomas, «está a ser ponderada a questão dos profissionais de saúde que, sendo assintomáticos e tenham tido contacto com doentes, possam ser testados».

António Sales falou, ainda, dos lares de idosos. «Estamos a adaptar-nos a esta evolução e por isso mesmo a norma que vai produzir efeitos a partir do dia 26 vai ter como um dos critérios de prioridade ‘doentes em lares e unidades de convalescença», avançou.

Isto porque «sentimos que esta população mais vulnerável tem de ser defendida, bem como os funcionários que trabalham com esta população».

Sobre as queixas que têm sido apresentadas pela impossibilidade de alguns acompanhantes estarem na sala de partos durante os nascimentos, o secretário de Estado sublinhou que é necessário «defender essencialmente a grávida e o bebé nesta matéria. Penso que os familiares compreenderão».

No entanto, o sub-diretor-geral da Saúde, Diogo Cruz, acrescentou que pensa que está a ser levada «à letra» a recomendação de evitar visitas e que a DGS irá em breve emitir novas recomendações sobre esse tema.

 

Atualizado às 16h55 com os novos dados divulgados pela Direção-Geral da Saúde

 

Gosta do nosso trabalho?
Então apoie-nos!
O seu donativo vai apoiar as nossas reportagens e todo o nosso trabalho jornalístico!

Clique aqui para apoiar-nos (Paypal)
Ou use o nosso IBAN PT50 0018 0003 38929600020 44

Comentários

pub
pub