Próximo relatório global sobre alterações climáticas começa a ser escrito em Faro

Grupo de Trabalho II do Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas (IPCC) vai reunir-se em Faro

260 especialistas vindos de mais de seis dezenas de países vão reunir-se em Faro entre os dias 26 de Janeiro e 1 de Fevereiro para avançar com a elaboração do Sexto Relatório de Avaliação do Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas (IPCC).

Os participantes neste encontro integram o Grupo de Trabalho II do IPCC e a contribuição que darão para o relatório «tem como principal foco o impacto das alterações climáticas nos sistemas naturais e humanos e as suas vulnerabilidades», segundo a Universidade do Algarve, que coorganiza o evento com a Direção-Geral de Política do Mar e com o Centro de Ciências do Mar.

«Este painel de investigadores também analisa a capacidade e limites desses sistemas para se adaptarem às alterações climáticas e estuda opções para reduzir os riscos associados ao clima, criando a perspetiva de um futuro mais sustentável», acrescentou a UAlg.

Desta reunião resultará um esboço do relatório, «que irá ainda ser revisto pelos governos e especialistas em Agosto de 2020. O relatório, que incluirá também as contribuições dos outros dois grupos de trabalho do IPCC, será finalizado em 2021».

«Os cientistas do IPCC vão reunir-se para trabalhar na avaliação do impacto das alterações climáticas nos ecossistemas, na biodiversidade e nas sociedades estabelecidas», resumiu Debra Roberts, copresidente do Grupo de Trabalho II.

«Esta reunião fornecerá dados científicos atualizados ao nível regional e setorial sobre como enfrentar os desafios decorrentes das alterações climáticas», acrescentou a mesma responsável.

Hans-Otto Pörtner, também copresidente do Grupo de Trabalho II, considerou, por seu lado, que «a reunião em Portugal é um marco importante nos preparativos para a próxima avaliação da ciência das alterações climáticas.

Essa avaliação de especialistas enriquecerá o conhecimento das nossas vulnerabilidades face às mudanças climáticas, mas também a capacidade e limites dos sistemas naturais e humanos para se adaptarem a elas, para além de opções para criar um futuro mais sustentável por intermédio de uma abordagem integrada de mitigação e adaptação a todos os níveis».

Em 2022 estará concluído o sexto ciclo de avaliação, aquando da conclusão de um Relatório de Síntese que vai integrar este relatório, as outras duas contribuições do Grupo de Trabalho e três Relatórios Especiais, recentemente produzidos.

«O Relatório de Síntese produzido pelo IPCC será conhecido ainda antes de se fazer o balanço global em 2023, na Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), onde irá ser revisto o progresso de um dos objetivos do Acordo de Paris, que pretende manter o aquecimento global abaixo de 2°C e limitá-lo a 1,5°C», concluiu a UAlg.

Comentários

pub
pub