Algarve tem três finalistas no Prémio Nacional de Artesanato

Duas Câmaras Municipais e uma artesã estão na lista final do concurso

Loulé Criativo

Os municípios de Loulé e de Lagoa, bem como a artesão louletana Sílvia Rodrigues, são finalistas do Prémio Nacional de Artesanato, promovido pelo IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional, na categoria “Promoção para Entidades Públicas” e “Inovação”, respetivamente.

A candidatura da Câmara de Loulé baseia-se nas iniciativas de apoio as artes e ofícios promovidas pelo município, nomeadamente a «realização de feiras e mostras de artesanato e do projeto Loulé Criativo, o qual criou uma rede de oficinas composta atualmente por cinco espaços».

A autarquia também criou o Loulé Design Lab, «um laboratório de criação, investigação e experimentação, que apoia uma rede de designers e makers, sendo uma das incubadas, a Sílvia Rodrigues, que trabalha a arte do papel de jornal, uma finalista do Prémio Nacional de Artesanato, na categoria “Prémio Inovação”», acrescentou a Câmara de Loulé.

 

Silvia Rodrigues

 

Já a Câmara de Lagoa baseou a sua candidatura na Fatacil – Feira de Artesanato, Turismo, Agricultura, Comércio e Indústria de Lagoa e naquilo que este certame representa para a promoção do Artesanato Nacional, «dando oportunidades e criando incentivos para os artesãos de todas as regiões de Portugal participarem numa das mais importantes feiras nacionais, que em 2019 realizou a sua 40ª edição».

Mais do que acolher os artesãos na feira, o município lagoense disponibiliza «alojamento gratuito a todos os artesãos que requisitarem esse serviço, em camaratas ou em espaços para instalação de tendas ou caravanas de campismo».

«É, ainda, dado particular destaque ao setor de artesanato no programa oficial da Fatacil, através de um dia temático dedicado aos artesãos, o que incentiva os visitantes da feira a percorrem as dezenas de stands do setor de artesanato da Fatacil, nesse dia em particular, e ao longo dos 10 dias da feira», lê-se na candidatura da Câmara de Lagoa.

O Prémio Nacional de Artesanato visa incentivar a produção artesanal, nas suas vertentes tradicional e contemporânea, distinguindo artesãos que se destaquem pelas competências técnicas e profissionais e pela excelência dos resultados alcançados, assim como agentes e entidades públicas e privadas com intervenções relevantes na promoção das artes e ofícios.

 

Artesanato na Fatacil

Comentários

pub
pub