Plano de Pormenor do Verdelago alterado para ter hotel… mais discreto

Deverá estar para breve o início da construção do empreendimento Verdelago, um processo que se arrasta há décadas

Novo projeto do hotel do empreendimento Verdelago

O Plano de Pormenor das Terras de Verdelago, que enquadra um empreendimento turístico a instalar entre Altura e a Praia Verde, no concelho de Castro Marim, vai ser revisto para poder ter um hotel… mais discreto.

Quem o garantiu ao Sul Informação foi Filomena Sintra, vice-presidente da Câmara de Castro Marim, que explicou a razão pela qual a autarquia castro-marinense decidiu mudar o Plano de Pormenor das Terras de Verdelago e assinar, esta semana, o contrato para planeamento dessa alteração.

«O empreendimento já foi aprovado há 20 anos e tem os alvarás emitidos e levantados desde 2010. Mas a estrutura societária mudou e lançou um concurso internacional de ideias para fazer uma alteração ao projeto do hotel. E a ideia, agora, é fazer uma coisa muito menos intrusiva, muito mais ajustada à paisagem e na escavação que já está feita», enquadrou a autarca castromarinense.

O novo projeto traz «uma melhoria significativa para todos», pelo que a Câmara considerou que «valeria a pena seguir este caminho mais longo, através da alteração do Plano de Pormenor».

«Como se tratava de uma alteração significativa da estrutura do hotel, da forma como este se apresentava, achámos que seria mais transparente e com menores dúvidas proceder à alteração do Plano de Pormenor, em vez de ajustarmos a interpretação do plano já existente – porque a Câmara tem autonomia para licenciar uma construção dentro do plano», disse Filomena Sintra.

Quanto às alterações que foram feitas ao projeto original, que previa a criação de um hotel de cinco estrelas, de um aldeamento turístico, de uma zona de comércio e serviços e de um campo de golfe de 18 buracos, vão no sentido de melhorar o enquadramento do hotel na paisagem.

O número de quartos vai ser distribuído por uma infraestrutura muito mais integrada na paisagem, porque o projeto anterior tinha 15 metros de cota de soleira.

A nova proposta prevê uma cota máxima «ao nível da estrada da Praia Verde e que o edifício se desenvolva na paisagem, mas para baixo, numa zona que já está escavada».

Por outro lado, «deslocalizaram as áreas de construção de apartamentos, que antes estavam mais próximos do mar e agora vão recuar».

 

 

Esta é, admite a autarca do PSD, uma prática pouco comum. «A comunidade, a sociedade e as instituições não estão habituadas que estas alterações sejam para preconizar soluções menos intrusivas. Normalmente é o contrário (risos)».

A vice-presidente da Câmara de Castro Marim lembrou ainda que «já foram publicadas em Diário da República as medidas de minimização do impacto ambiental» há mais de dez anos e que «todas as medidas de salvaguarda, tanto do património natural, como do histórico, estão contempladas».

«Acredito que toda a gente, mesmo os mais sensíveis para o património e para o ambiente, se irão rever nesta alteração», afirmou.

Numa nota de imprensa, a Câmara de Castro Marim revela que, apesar de haver alterações ao projeto, não serão mudados «os parâmetros urbanísticos totais, nomeadamente os valores referentes à área de implementação, construção, impermeabilização, altura da edificação ou número de camas».

Por outro lado, adianta que o empreendimento Verdelago tem «uma área de intervenção de 955.520m2 (95,552 ha), contempla um hotel, um aldeamento turístico e uma zona desportiva/lazer, num espaço já urbanizado faltando apenas, para a sua conclusão, proceder à colocação do acabamento das vias e dos passeios».

«O empreendimento Verdelago constitui-se como um investimento muito importante para Castro Marim, contribuindo para reforçar a estratégia de desenvolvimento concelhio e afirmando-se, do ponto de vista do interesse público, um empreendimento estruturante no desenvolvimento macroeconómico do concelho e da região», considera a Câmara de Castro Marim.

O projeto de alteração do Plano de Pormenor deverá ser submetido à aprovação da Assembleia Municipal de Castro Marim até ao final de 2019. Já a obra de construção do hotel e do empreendimento turístico deverá ter início «em meados de 2020».

A intenção de criar o empreendimento Verdelago tem mais de 30 anos e o início da sua construção chegou a ser anunciado para 2011.

Antes disso, houve uma tentativa frustrada de avançar com um empreendimento pelos primeiros donos do terreno, um grupo de investidores finlandeses, nos anos 80/90.

Depois de uma passagem pela banca, os terrenos acabaram nas mãos da sociedade imobiliária Inland, de Luís Filipe Vieira, presidente da SAD do Benfica, que viu o empreendimento ser classificado como Projeto de Interesse Nacional, em 2006.

O projeto deveria ter avançado em 2011, mas a crise económica ditou que não passasse do papel.

Agora, o empreendimento está nas mãos da Verdelago Sociedade Imobiliária, que é detida, na sua larga maioria (75%) por um fundo de investimento.

Comentários

pub
pub