Apreendidas em Beja cartas régias escritas entre os séculos XVII e XIX

Muitas das cartas foram dirigidas a «ilustres figuras» de Beja

A Polícia Judiciária apreendeu em Beja 165 documentos manuscritos entre os anos de 1623 e 1806, a maioria dos quais cartas originais «enviadas em nome do “Rei”, do “Príncipe”, do “Infante” e da “Duquesa de Mântua” e endereçadas a figuras ilustres» desta cidade alentejana.

A apreensão deste códice factício, «um documento de grande relevância e valor inestimável em termos históricos, que se encontrava em posse de particulares», aconteceu na sequência de uma investigação levada a cabo pela Diretoria do Sul da PJ, na sequência de dúvidas levantadas pela Câmara de Beja, relativamente ao seu eventual descaminho do espólio do Estado.

O códice factício, constituído por documentos em bifólio de papel, irá ser alvo de perícia, no Laboratório de Polícia Científica, com vista a determinar a sua autenticidade.

Comentários

pub
pub