Arqueólogo espanhol fala sobre Mineração Antiga numa conferência em Beja

Orador é é investigador e arqueólogo da Universidade de Huelva

Sabia que a mina de Aljustrel era uma das maiores do Império Romano? Para falar sobre Vipasca e outros assuntos, o professor Juan Aurelio Pérez Macías vai fazer uma conferência sobre mineração antiga na Faixa Piritosa Ibérica, no Núcleo Museológico da Rua do Sembrano, em Beja, já no dia 26 de Setembro, às 21h30.

Trata-se de uma conferência integrada no ciclo “Sob a Terra e as águas, porque há sempre novas histórias para contar”, promovido pela EDIA, em parceria com a Câmara Municipal de Beja e Direção Regional de Cultura do Alentejo, com o apoio da Associação para a Defesa do Património Cultural da Região de Beja, fruto dos trabalhos de arqueologia promovidos durante a construção do Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva.

O convidado, Juan Aurelio Pérez Macías, é investigador e arqueólogo da Universidade de Huelva.

A Península Ibérica era uma terra abundante em minerais. Nas zonas geológicas do Sudoeste têm incidência duas formações, denominadas Zona Sul Portuguesa e Zona de Ossa-Morena.

A sua riqueza mineira foi avaliada em mais de 100 jazidas com possibilidades de exploração industrial.

Esta conferência, que tem entrada gratuita, apresentará um resumo dos sistemas de exploração e quais os metais extraídos na época romana nestas minas do Sudoeste Peninsular, com especial destaque para as situadas na Zona Sul Portuguesa (Faixa Piritosa).

Comentários

pub
pub