João Rodrigues celebrou vitória na Volta com as suas famílias de Tavira

Tavira recebeu em festa o “seu” vencedor da Volta a Portugal

 

João Rodrigues, o vencedor da 81ª Volta a Portugal, foi ontem homenageado pela Câmara de Tavira, a sua terra natal, numa cerimónia onde estiveram os seus pais e a irmã, mas também a sua outra família, a do ciclismo tavirense, no seio da qual cresceu «como profissional e como pessoa».

Tavira e o Algarve continuam, de resto, a ser um refúgio para o atleta, que faz a maioria dos seus treinos na região que o viu nascer, apesar de alinhar pela equipa nortenha W52/FC Porto. «Diria que a vitória na Volta a Portugal tem 70% de Algarve», considerou João Rodrigues.

O jovem ciclista, que é o primeiro tavirense a ganhar a Volta a Portugal, foi recebido em festa e com muitas manifestações de carinho. Afinal, muitos dos que marcaram presença ontem nos Paços do Concelho de Tavira conhecem o João desde que ele era muito pequeno.

«Comecei com o ciclismo, mas houve ali uma fase que perdi um pouco de tempo com o futebol. Mas tinha pouco jeito (risos) e voltei a dedicar-me em exclusivo ao ciclismo», contou João Rodrigues, que trouxe com ele a camisola amarela que conquistou.

O atleta criado em Faz Fato esteve ontem em Tavira, acompanhado pelos seus dois companheiros de equipa algarvios, Samuel Caldeira e Ricardo Mestre, a quem não poupou elogios e agradecimentos.

«O Samuel ganhou nove das últimas dez Voltas a Portugal [títulos coletivos], o que demonstra o quão importante ele é para a equipa. O Ricardo também já ganhou a Volta e sabe melhor do que ninguém o que eu estou a sentir. Foi incansável a dar-me apoio nesta Volta», disse o ciclista tavirense.

 

Samuel Caldeira e Ricardo Mestre também estiveram na cerimónia

 

O apoio também não faltou em Tavira, terra «onde o ciclismo é o desporto-rei», ilustrou Jorge Botelho, presidente da Câmara de Tavira.

A vitória de João Rodrigues na prova rainha do ciclismo português «foi um momento histórico» para o concelho, considerou o edil tavirense. «Já tínhamos tido campeões da Volta a Portugal antes, mas nenhum que tivesse nascido em Tavira», disse.

«Esta é uma homenagem mais que justa e que servirá para a memória futura do concelho», acrescentou Jorge Botelho.

Quem também já pensa no futuro é João Rodrigues, que entrou no radar das grandes equipas mundiais com a vitória que conseguiu na Volta a Portugal.

«Claro que gostava de subir ao escalão mais alto do ciclismo, numa das melhores equipas do mundo. Isso seria o concretizar de quase todos os sonhos que eu tenho», confessou.

Quanto ao facto de o técnico da Movistar ter afirmado que conhecia o nome do vencedor da Volta a Portugal, João Rodrigues põe água na fervura, mas sem conseguir esconder um sorriso. «Não sei, nunca tive qualquer contacto da parte deles. Mas é óbvio que um dia gostava de representar uma das equipas do World Tour. O facto de já ser conhecido por treinadores dessas equipas é um motivo de orgulho», disse.

Enquanto não há a oportunidade de dar o salto para uma equipa de topo, algo que João deseja que aconteça «o mais rápido possível», o ciclista algarvio está feliz onde está, na W52/FC Porto.

«Estamos no 2º escalão do ciclismo, estou na melhor equipa em Portugal, que me acarinha bastante e onde me sinto em casa. É como se estivesse em família. Continuarei lá enquanto eles quiserem», disse.

Ou seja, como se viu ontem e João Rodrigues confirma, famílias não faltam ao vencedor tavirense da Volta a Portugal.

 

Fotos: Hugo Rodrigues|Sul Informação

 

Comentários

pub
pub