Grupos de dez países ajudam a fazer a festa do folclore em Faro (e não só)

Festival tem a sua componente principal em Faro, mas passa também em Loulé, Olhão, São Brás de Alportel, Tavira e Vidigueira

O FolkFaro volta a trazer grupos vindos de vários pontos de Portugal e de dez outros países ao Algarve, entre os dias 17 e 25 de Agosto, e a fazer de Faro a capital do folclore e da etnografia.

A 17ª edição deste festival, o maior do género no Sul de Portugal e uma referência a nível regional e nacional, começa no sábado, dia 17, com a já tradicional Gala de Abertura, que junta seis das formações internacionais convidadas ao anfitrião, o Grupo Folclórico de Faro, que organiza o evento.

A gala contará com a presença dos grupos Asociación “Nuestras Raíces” (Rosario – Santa Fé, Argentina), Ballet Folclórico Nacional Jaime Orozco (Bogotá, Colômbia) FS Rozmarija (Presov, Eslováquia), Grupo de Danzas Adolfo de Castro (Cádiz, Espanha), Ensemble Sanyo Daiko Dan (Hiroshima, Japão) e Penfolk Sarfolk (Pendik – Istambul, Turquia).

Além destas formações «a tempo interior», virão de além-fronteiras outros grupos, para «participações pontuais no palco do Passeio da Doca», segundo a Câmara de Faro, que apoia a organização do evento.

Assim, o público pode, igualmente, contar com o Folk Group Kompanija (Boguchwala, Polónia), a Compañia Nacional de Danza Folklórica (Cidade do México, México), a BAFUT (Universidad de Tarapacá, Chile) e o Cho Shui River Art (Yunlin, Taiwan).

Como sempre, também estarão representadas diferentes regiões de Portugal, nomeadamente o Grupo Folclórico de Barcelinhos (Baixo Minho), Rancho Folclórico da C.P. Arcena – V.F. Xira (Ribatejo), Rancho Folclórico S. Salvador de Grijó – V.N. Gaia (Douro Litoral) e o Rancho Típico Sambrasense (S.B. Alportel).

Estes serão os protagonistas dos muitos espetáculos previstos no programa do festival, que contará igualmente com «inúmeras atividades, naquele que é um dos acontecimentos mais aguardados no verão cultural da capital algarvia».

 

 

Os espetáculos diários em Faro, no Palco do Passeio da Doca, acontecem nas noites de 18 a 25 de Agosto, em simultâneo com a Feira dos Doces, Frutos Secos e Bebidas Regionais.

«Em cada uma dessas noites, atuarão sucessivamente os diversos grupos estrangeiros, e também haverá lugar a outras expressões artísticas, com algumas participações especiais: Clube de Danças João de Deus e Associação S. Brás Bailando e Sandra Cristo (intérprete do Hino do FolkFaro – “Unidos Por Um Laço”)», segundo a autarquia farense.

Mas o festival não se ficará pelo centro histórico da capital do Algarve. Como já vem acontecendo há alguns anos, os grupos participantes também atuarão nas diferentes freguesias de Faro e noutros concelhos da região e do Alentejo, nomeadamente em Loulé, Olhão, São Brás de Alportel, Tavira e Vidigueira, num total de 15 localidades.

«Diversos grupos do FolkFaro participarão nos festivais de Moncarapacho e da Luz de Tavira, em parceria com os grupos folclóricos locais. É renovada também a parceria com o Festival de Danzas de Villablanca (província de Huelva – Faro), com a partilha de grupos internacionais entre os dois festivais», explicou a Câmara.

Animação de rua, na baixa e no Mercado Municipal, desfiles dos grupos da Pontinha ao Passeio da Doca, iniciativas no Moto Clube de Faro e na “Tertúlia Algarvia”, programas especiais para crianças na Biblioteca e no Refúgio Aboim Ascensão, programas para idosos em diversas instituições e um programa especial para os reclusos no Estabelecimento Prisional são outras das propostas do FolkFaro.

Igualmente no âmbito do festival vão realizar-se ateliers de dança diários na na Escola EB 2,3 Santo António, que «permitirão aos mais curiosos, aprender e praticar um pouco das danças do mundo através dos grupos que nos visitam».

«A Celebração Ecuménica na Igreja da Sé, no último dia, com uma mensagem de paz e união entre os povos, constitui também motivo de interesse deste festival», acrescentou a Câmara de Faro.

O Folkfaro, organizado pelo Grupo Folclórico de Faro, com o apoio principal da Câmara Municipal de Faro. São também apoiantes do evento a Direção de Cultura do Algarve, a Fundação Inatel, as Câmaras Municipais de Loulé e São Brás de Alportel, as Juntas de Freguesia do concelho de Faro, o Teatro Municipal de Faro, o Ayuntamento de Villablanca, a Fagar e o Mercado Municipal.

 

Fotos: Câmara de Faro

Comentários

pub
pub