Temperatura acima do normal, chuva abaixo tornaram Primavera «quente e seca»

Maio passado foi o 6º mês de Maio mais seco desde 1931

Temperaturas médias superiores ao normal e menos chuva caracterizaram a Primavera em Portugal Continental, que assim foi classificada «como quente e seca», anunciou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O valor médio da temperatura média do ar, 14.63 °C, foi superior ao valor normal em 1.03 °C. O IPMA salienta que «valores da temperatura média superiores aos agora registados ocorreram em cerca de 20% dos anos desde 1931».

Por outro lado, o «valor médio da temperatura máxima (20.97 °C) foi muito superior ao valor normal, +2.26 °C e corresponde ao 7º valor mais alto desde 1931 (mais alto em 1997) e ao 4º mais alto desde 2000 (depois de 2017, 2015 e 2011)».

Além disso, «o valor médio da temperatura mínima (8.29 °C) foi inferior ao valor normal em 0.20 °C. Valores da temperatura mínima inferiores aos agora registados ocorreram em cerca de 35 % dos anos desde 1931».

O total da quantidade de precipitação ocorrida nos meses de Março a Maio, que atingiu apenas 175.8 mm, corresponde a cerca de 83% do valor médio. Valores de precipitação inferiores aos registados ocorreram em cerca um quarto dos anos desde 1931.

O IPMA destaca também que, de 18 a 31 de Março, ocorreram «dias quentes», enquanto entre 22 e 31 do mesmo mês se verificou uma «onda de calor», que abrangeu grande parte da região Norte, a região de vale do Tejo e alguns locais do Alto Alentejo.

O mês de Maio, por seu lado, foi «muito quente e extremamente seco». O IPMA salienta que houve um período «excecionalmente quente entre 11 e 15 de Maio e entre 26 e 31». Nos dias 30 e 31, foram mesmo ultrapassados «os anteriores maiores valores da temperatura máxima do ar nalgumas estações meteorológicas do litoral».

Ocorreu igualmente uma onda de calor, com início a 22 de Maio e que se prolongou até aos primeiros dias de Junho, abrangendo quase todo o território.

Tudo isso fez com que este tenha sido o 6º mês de Maio mais seco desde 1931 e o 3º mais seco desde 2000, depois de 2006 e 2003.

Também no que diz respeito à seca meteorológica se verificou um «agravamento da intensidade», em Março, com todo o território em situação de seca meteorológica.

Em Abril, por seu lado, graças a alguma chuva que caiu, diminuiu a área e a intensidade da seca meteorológica, e apenas as regiões a sul do rio Tejo se mantinham em situação de seca.

No entanto, em Maio, aumentou a área e a intensidade da seca meteorológica, com a região Sul a ficar na situação de «seca severa a extrema».

Segundo o IPMA, «a distribuição do território por classes era a seguinte: 2.5 % na classe de seca extrema, 27.9 % na classe de seca severa, 22.4 % na classe de seca moderada, 46.1 % na classe de seca fraca e 1.8 % na classe normal».

Comentários

pub
pub