PAN exige classificação das Alagoas Brancas como zona protegida

Partido pede, ainda, que o ICNF faça um novo estudo que substitua um parecer dado em 2017 que desvalorizava ambientalmente as Alagoas Brancas

As Alagoas Brancas «devem ser classificadas como zona protegida» pela Câmara de Lagoa, à luz das conclusões de um estudo feito recentemente pela associação ambientalista Almargem , defende o PAN  do Algarve.

O PAN já questionou o Ministério do Ambiente e Transição Energética sobre as ameaças a esta zona «de comprovada relevância ecossistémica ao nível da diversidade e raridade da sua flora e fauna» e exige que o ICNF faça um novo estudo, para substituir «o documento incorreto» que lançou em 2017.

A sugestão é que a autarquia utilize os meios ao seu dispor e crie «um Perímetro de Proteção Local (PPL) e uma Zona de Proteção Especial (ZPE) que garanta a preservação e sustentabilidade das Alagoas a longo prazo».

Para o partido Pessoas – Animais – Natureza, o valor ambiental desta zona ficou provado num recente estudo da Almargem, documento que pode e deve servir de justificação para classificar esta zona do concelho de Lagoa.

Desta forma, está agora provado que o parecer dado pelo ICNF há cerca de dois anos e em que se dizia, «basicamente, que as Alagoas Brancas eram desprovidas de valor para a avifauna» e que desconsiderava a sua classificação, «carecia de validade por parte da comunidade científica».

«É essa factualidade que o estudo da Almargem vem trazer. Assim, a forma como se abordam as questões relacionadas com a gestão desta zona têm que forçosamente ser reconsideradas», defende o PAN.

Além da classificação oficial das Alagoas Brancas como zona protegida, este partido pede que «se inicie o processo classificação das Alagoas Brancas como um dos sítios “Ramsar”de proteção de zonas húmidas a nível global, com base no convénio assinado por Portugal em 1980».

Solicita, ainda que sejam seguidas as diretivas europeias de proteção de aves migratórias e que «se trabalhe no sentido de incluir as Alagoas Brancas como parte da rede IBA, (Important Bird Areas), umas das maiores redes globais para a proteção de aves e conservação dos seus habitats».

 

Fotos: PAN Algarve

Comentários

pub
pub