Algar simulou incêndios para testar segurança nas suas instalações

Simulacros tiveram lugar na Estação de Transferência de Faro/Loulé/Olhão e no Aterro Sanitário do Barlavento

A Algar realizou simulacros de incêndio na Estação de Transferência de Faro/Loulé/Olhão, em São João da Venda, e no Aterro Sanitário do Barlavento, em Portimão, para testar os procedimentos de segurança nestas instalações.

Esta terça-feira, dia 27 de Novembro, o exercício decorreu na unidade situada no concelho de Loulé, enquanto nas instalações de Portimão decorreu no dia 22 de Novembro, sempre com o apoio das corporações de bombeiros do concelho, enquanto observadores e parte integrante na componente formativa.

Ontem, o exercício consistiu na simulação de um incêndio na zona de descarga de resíduos, na Unidade de Triagem, «devido a uma explosão com origem num “engenho” presente na mistura de resíduos. Incluiu assistência à vítima (queda inconsciente com perna partida) e necessidade de evacuação», segundo a Algar.

A empresa algarvia de recolha e valorização de resíduos urbanos adiantou que o simulacro visou «a sensibilização geral para a segurança contra incêndios, destinada a todos os colaboradores da instalação, e formação específica aos elementos que, na sua atividade profissional normal, lidam com situações de maior risco de incêndio, nomeadamente os que a exercem em locais de Risco C (Ecocentro, Unidade de Triagem de Embalagens, Oficina, entre outros) e locais de risco F (Central de Bombagem)».

Foi, igualmente, «ministrada formação ajustada aos elementos que integram as Equipas de Segurança e possuem atribuições especiais de atuação em caso de emergência (emissão do alerta, evacuação, utilização dos comandos de meios de atuação, entre outros)».

No dia 22 de Novembro, a Algar já havia realizado um simulacro no Aterro Sanitário do Barlavento, «cuja ação prática, incêndio na zona de descarga de resíduos na Unidade de Tratamento Mecânico, foi precedida de formação».

«Estes simulacros, para além de terem como objetivo testar o Plano de Emergência Interno da Algar e treino dos ocupantes, com destaque para as equipas de segurança, com vista à criação de rotinas de comportamento e de atuação e aperfeiçoamento dos procedimentos em causa, permitem ainda aferir a eficácia dos meios internos e externos do referido plano, tendo como princípio fundamental a salvaguarda de pessoas e bens», concluiu a empresa.

Comentários

pub
pub