Projeto em Silves quer levar moradores a reivindicar: «O Bairro é Meu!»

O projeto «O Bairro é meu!» já está a dar os seus primeiros passos, esperando ganhar a confiança e a participação dos seus moradores

Um curso para formar pelo menos 15 pessoas como Auxiliares Geriátricas, pago e ministrado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional, e com emprego garantido na Santa Casa da Misericórdia de Silves e em outras IPSS do concelho. Esta será uma das primeiras medidas do projeto «O Bairro é meu!», que se destina a apoiar a integração e valorização dos Bairros da Caixa D’Água e SAAL, ambos localizados em Silves.

O Bairro D. Sancho I, que toda a gente na cidade conhece como da Caixa D’Água, foi, ontem de manhã, visitado pela secretária de Estado da Administração Interna, que começou por inaugurar o mural da autoria do street artist algarvio Bamby, pintado na empena de um dos prédios.

O mural, com uma enorme cara de criança e a palavra «Juntos», que é o lema do projeto, tem um fundo azul cheio de bolhas gigantes, para evocar a tal caixa d’água que dá nome ao bairro.

«O olhar desta criança expressa bem a congregação de esforços que caracteriza este projeto», haveria de salientar a secretária de Estado Isabel Oneto.

Depois, no polidesportivo, que foi todo recuperado no tempo recorde de menos de três meses, foi inaugurada a sede do projeto «O Bairro é Meu!», que contará com três estagiárias para dar apoio.

A presidente da Câmara Rosa Palma, a secretária de Estado Isabel Oneto e Sandra Moreira, do gabinete de Comunicação da autarquia

Em breve, começará também a ser criado um parque infantil e de recreio, num terreno que hoje está meio ajardinado, meio abandonado, como revelou ao Sul Informação Jorge Ponceano, chefe da Divisão de Desporto e Ação Social e também dirigente do projeto.

Serão ainda dinamizados eventos desportivos, até porque o projeto tem já monitores dessa área a trabalhar com os mais jovens – e são muitos – do bairro. Ontem, a culminar a visita da secretária de Estado Isabel Oneto, houve mesmo um jogo no polidesportivo, para demonstrar o muito trabalho que irá agora ser feito.

Entre o que falta fazer, está a tarefa de dar nomes às ruas do Bairro da Caixa D’Água, que já tem 40 anos. «Aqui há tempos, houve a intenção de nomear as ruas, mas atribuindo-lhes nomes de países de língua oficial portuguesa, como Moçambique, Angola, Timor. Só que muitos dos habitantes originais deste bairro são pessoas vindas de África, após a descolonização, e que ainda guardam mágoas desses tempos, pelo que rejeitaram os nomes» contou Luís Santos, vice-provedor da Santa Casa da Misericórdia, a entidade gestora do projeto.

«O que vamos fazer agora é envolver as pessoas, os moradores, na escolha dos nomes das suas ruas. Eles é que vão sugerir e escolher esses nomes», garantiu.

É que o projeto, integrado no Contrato Local de Segurança, assinado entre a Câmara de Silves e o Ministério da Administração Interna, tem precisamente como objetivo envolver os moradores na resolução dos problemas do seu próprio bairro. «Ambiciona-se que, com a implementação deste projeto, os moradores levem a peito o bairro que fez deles, eles!», explicam os promotores. «E que, em cada esquina, em todos os prédios, em qualquer casa, “O Bairro é Meu!” seja, agora, mais do que nunca, deles».

Em Abril passado, durante uma reunião em Silves com a secretária de Estado Isabel Oneto, esta lançou um desafio. «Fomos desafiados num dia a apresentar um projeto na semana seguinte», revelou Rosa Palma, presidente da Câmara local.

«O que se passa neste bairro? Os jovens abandonam a escola, faltam às aulas. O que se passa com estes alunos?, pensámos. E as pessoas mais velhas? Porque é que há aqui desemprego? Que mensagem é que isso passa aos mais novos? E resolvemos fazer um diagnóstico para saber quais os anseios dos mais jovens e dos menos jovens», explicou a autarca ao Sul Informação, contando qual a génese do projeto.

«Queremos ter a colaboração dos moradores, queremos que isto continue e não se fique só por esta apresentação no dia da visita da senhora secretária de Estado, que não seja só o mural e as paredes do polidesportivo pintadas, queremos que ganhe vida, que as pessoas se envolvam. A ideia é que as pessoas sintam que o bairro é delas!», acrescentou Rosa Palma.

Luís Santos, vice-provedor da Misericórdia, fez questão de garantir que «toda a verba recebida para este projeto será efetivamente gasta em melhorias deste bairro e das vidas de quem aqui vive». Depois do «ambicioso plano» apresentado, «muito está para ser feito aqui», acrescentou.

Após a visita à sala do polidesportivo que passa agora a acolher também um ATL para as crianças, Isabel Oneto e Rosa Palma, com a ajuda do jovem Micael, morador do bairro, descerraram a habitual placa.

A secretária de Estado afirmou: «parabéns para os que conseguiram, em tão pouco tempo, pôr de pé este projeto».

Este não é, porém, o primeiro projeto que o Bairro da Caixa D’Água já viveu. Por isso, salientou Jorge Ponceano, é preciso agora voltar a ganhar a confiança das pessoas, um bocado fartas de inaugurações sem grande seguimento.

Para já, aquele responsável espera que o curso de formação profissional em Auxiliar de Geriatria, que será ministrado no polo de Silves do IEFP, a curta distância do bairro, comece a funcionar em Setembro próximo, com pelo menos 15 formandos (o número mínimo para que o curso avance), dos 18 aos 35 anos. «O curso é pago e o emprego está garantido, na área do concelho, nas IPSS que precisam de pessoas com este tipo de formação», explicou. «Nem que tenhamos de andar a bater de porta em porta, a explicar o que será o curso e as suas vantagens»…

Rosa Palma, que era professora e portanto vive com muita intensidade os problemas dos mais jovens habitantes do bairro, concluiu, nas suas declarações ao Sul Informação: «começamos por este bairro, mas iremos estender este tipo de projeto e de intervenção a outros bairros».

 

Consórcio das entidades:

Câmara Municipal de Silves – entidade promotora
Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Silves – entidade gestora
Comissão de Proteção e Crianças e Jovens de Silves
Junta de Freguesia de Silves
Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Silves
Instituto Religioso do Sagrado Coração de Maria – Silves
Agrupamento de Escolas de Silves
Instituto de Emprego e Formação Profissional – Polo de Formação de Silves

Entidades Parceiras:

Centro de Saúde de Silves
Amigos dos Pequeninos de Silves – IPSS
Silves Futebol Clube
Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Silves
Delegação de Silves da Cruz Vermelha
Associação de Reformados e Pensionistas de Silves
Grupo Desportivo e Cultural do Enxerim
CAFAP – IPSS “Castelo dos Sonhos”
Sociedade Filarmónica Silvense
Agrupamento 181 do CNE – Silves
Conferência de Santo Agostinho da Sociedade São Vicente de Paulo – Silves

 

Fotos: Elisabete Rodrigues | Sul Informação

Comentários

pub
pub