180 mil pessoas já visitaram exposição “LOULÉ. Territórios. Memórias. Identidades”

Mais de 180 mil pessoas já visitaram a exposição “LOULÉ. Territórios. Memórias. Identidades”, no Museu Nacional de Arqueologia (MNA), em […]

Mais de 180 mil pessoas já visitaram a exposição “LOULÉ. Territórios. Memórias. Identidades”, no Museu Nacional de Arqueologia (MNA), em Lisboa, desde a sua abertura a 21 de Junho do ano passado.

No domingo, dia 24 de Junho, será celebrado o primeiro aniversário desta grande mostra, com inúmeras iniciativas naquele museu situado no Mosteiro dos Jerónimos. Este momento contará com a presença do presidente da Câmara Municipal de Loulé Vítor Aleixo e do diretor do MNA António Carvalho, além de outros membros da equipa constituída para organizar a exposição, dos Museus Nacional de Arqueologia e Municipal de Loulé.

No programa, há lugar a dois concertos da Banda Filarmónica Artística de Minerva, um durante a manhã, pelas 11h00, e outro à tarde, pelas 15h15. Às 11h30, decorre uma sessão com o balanço da exposição e, às 15h00, será celebrado um protocolo de colaboração entre a Câmara Municipal de Loulé e a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa/Centro de Arqueologia (UniArq).

“LOULÉ. Territórios, Memórias, Identidades” apresenta mais de 7 mil anos de história do concelho, revela costumes, hábitos alimentares e a vida quotidiana das várias civilizações que por ali passaram através de peças arqueológicas.

“LOULÉ. Territórios, Memórias, Identidades” é, em matéria da Arqueologia, uma espécie de “Portugal em miniatura” que espelha a História de Portugal, da Península Ibérica e da Europa. Um verdadeiro ponto de partida para uma viagem obrigatória até Loulé para descobrir o Concelho e os seus segredos mais bem guardados, como o sítio de Corte João Marques, a escrita do Sudoeste, o Cerro da Vila, o Castelo de Salir e o Centro Histórico da cidade.

“LOULÉ. Territórios, Memórias, Identidades” é o resultado de 15 meses de preparação, 12 comissários científicos e executivos, 40 autores de textos, 1200 bens arqueológicos inventariados, 504 peças expostas, 166 peças restauradas, 154 sítios arqueológicos devidamente cartografados no sistema de informação documental e geográfica, parceria com 11 instituições, 54 técnicos envolvidos, contributo de mais de 20 profissões, entre tantos outros números.

“LOULÉ. Territórios, Memórias, Identidades“ foi galardoada pela Associação Portuguesa de Museologia que distingue o melhor da museologia em Portugal, com os Prémios APOM-2018, mas relativos a 2017, nas categorias, de “Melhor Parceria” e de “Melhor Catálogo”, e teve ainda uma Menção Honrosa na área da “Educação e Mediação Cultural”.

“LOULÉ. Territórios, Memórias, Identidades” é uma exposição criada de forma integrada para a valorização de um território e do seu património cultural, promovendo o reforço de uma identidade junto das suas comunidades.
Trata-se de uma iniciativa conjunta dos Museus Nacional de Arqueologia e Municipal de Loulé, com o apoio da Lusitânia Seguros, da Imprensa Nacional da Casa da Moeda e do 365 Algarve. A exposição estará patente durante os 125 anos do Museu Nacional de Arqueologia que se celebram durante 2018.

«Esta é também uma exposição absolutamente coerente com as linhas de força do Ano Europeu do Património Cultural (AEPC), que decorre em 2018 sob o lema “Património: onde o passado encontra o futuro”. Reflexo da elevada adesão da sociedade civil, Portugal é um dos três países com mais iniciativas inscritas na programação oficial (a par da Alemanha e da Irlanda), conforme foi ontem sublinhado pelo Comissário Europeu para a Educação e Cultura, Tibor Navracsics, na sessão de abertura da Cimeira do Património Cultural Europeu, que decorre em Berlim até 24 de Junho», salienta a Direção Geral do Património Cultural, em nota de imprensa.

«A este propósito, e tal como foi ontem publicamente referido no Museu de Arte Popular, no ato formal de lançamento da série de selos alusivos às comemorações, pelo Coordenador Nacional do AEPC, Guilherme d’Oliveira Martins, segundo fontes oficiais europeias, Portugal é o país com mais iniciativas inscritas na programação oficial. Prova inequívoca da total adesão das instituições e organismos portugueses, e suas equipas, da Administração Central, Regional e Local, não só públicos como também privados, e no mundo associativo», explica, por seu lado, a Câmara de Loulé.

A exposição está patente no Museu Nacional de Arqueologia (Mosteiro dos Jerónimos, Lisboa), de terça-feira a domingo, entre as 10h00 e as 18h00.

 

PROGRAMA
1º Aniversário da Exposição
LOULÉ. Territórios, Memórias e Identidades
24 de Junho

10h30 – Chegada da Banda Filarmónica Artística de Minerva.
55 Pessoas (40 músicos e 15 familiares) e demais convidados.
10h40 – Receção dos convidados
11h00 – 1ª Atuação da Banda Filarmónica Artística de Minerva na entrada principal do Museu.
11h30 – Sessão, na exposição, de balanço e perspetivas. Intervenções: Diretor do Museu, António Carvalho (Boas -Vindas); Presidente da Câmara, Vítor Aleixo, Diretora Municipal, Dália Paulo
Visita guiada à exposição de L”OULÉ. Territórios, Memórias e Identidades”, por membros da equipa MNA/MML.
Período para visita livre.
15h00 – Assinatura do protocolo de colaboração entre a Câmara Municipal de Loulé e a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa/Centro de Arqueologia (UNIARQ).
15h15 – 2ª Atuação da Banda Filarmónica Artística de Minerva na entrada principal do Museu.

Para mais informações sobre a programação, contactar: mariaalbuquerque@mnarqueologia.dgpc.pt ou geral@mnarqueologia.dgpc.pt

Comentários

pub