Carlos do Carmo «extremamente feliz» por dar nome ao Auditório Municipal de Lagoa

“Estou extremamente feliz e honrado por esta homenagem”, disse Carlos do Carmo quando a Câmara de Lagoa o convidou para […]

“Estou extremamente feliz e honrado por esta homenagem”, disse Carlos do Carmo quando a Câmara de Lagoa o convidou para dar nome ao Auditório Municipal da cidade.

O principal equipamento cultural do Município de Lagoa adotará assim o nome do fadista Carlos do Carmo, nome maior da música e da cultura portuguesa, numa homenagem única e inédita a nível nacional, que terá lugar a 28 de Abril, pelas 17h00.

Nesse mesmo dia, mas às 21h30, Camané, Cristina Banco, Marco Rodrigues e Paulo de Carvalho, entre outros nomes da música portuguesa, darão voz a um momento que revisitará canções imortalizadas na voz de Carlos do Carmo ao longo destes seus mais de 50 anos de carreira.

“Dirigimos este pedido a Carlos do Carmo no passado dia 20 de Janeiro, depois da sua atuação no Centro de Congressos do Arade, e a sua resposta foi imediata, o que nos deixou muito felizes”, revelou o presidente da Câmara Francisco Martins.

O autarca apontou a visão estratégica de Lagoa na área cultural, realçando que este é um trabalho que “visa reconhecer, mostrar e valorizar o património material e imaterial, dando primordial importância à educação e formação de públicos”.

O percurso de Carlos do Carmo dentro e fora do país e a forma como o seu trabalho se relaciona com a identidade do povo português foram alguns dos motivos que levaram a autarquia a escolher o seu nome. Desde o seu primeiro registo discográfico: “Fado Loucura”, em 1963, a sua voz foi registada em mais de 80 discos individuais, coparticipações e coletâneas.

Foi distinguido em 1997 com o grau de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique pelo presidente Jorge Sampaio e, em 2006, com a Ordem de Mérito pelo atual presidente, Marcelo Rebelo de Sousa. Em 1998 ganhou um “Globo de Ouro” de Excelência e Mérito e em 2002 o Globo de Melhor Disco do Ano, atribuído pela SIC, com o seu trabalho: “Nove fados e uma canção de amor”. Em 2008, depois de participar no filme “Fados”, do realizador espanhol Carlos Saura, viu o seu “Fado da Saudade” ser distinguido com o Prémio Goya.

O município de Lisboa atribuiu-lhe em duas ocasiões a Medalha de Mérito da cidade, a última logo após vencer o Grammy Latino de Carreira, que lhe foi entregue em Las Vegas, distinção inédita para um artista português.

Lagoa,

Comentários

pub
pub