Câmara de Castro Marim não desiste de ter praia em Odeleite

A Câmara de Castro Marim não desistiu de criar uma zona balnear na barragem de Odeleite, apesar da oposição ter […]

A Câmara de Castro Marim não desistiu de criar uma zona balnear na barragem de Odeleite, apesar da oposição ter chumbado, num primeiro momento, a adjudicação final da obra. O executivo PSD, que governa este concelho em minoria, reformulou o projeto e vai voltar a apresentar em Reunião de Câmara o agora Centro de Atividades Náuticas de Odeleite – inicialmente era praia fluvial.

Na prática, pouco muda, em relação ao projeto inicial, até porque este já viu aprovado o cofinanciamento da União Europeia. No fundo, o que mudou foi a abordagem do município, que foca, agora, as atenções na componente de centro náutico da intervenção. Isso não impede que esteja prevista uma piscina, que será delimitada por estruturas flutuantes.

O Centro de Atividades Náuticas de Odeleite foi um dos projetos apresentados durante a Fam Trip que a Região de Turismo do Algarve promoveu a Castro Marim, na semana passada.

A ideia da Câmara de Castro Marim é tirar partido da existência de uma barragem para criar um polo de atração turística.

Nesta nova vida do projeto, é dado especial enfoque à vontade de investidores privados de se juntar ao projeto. É que, garantiu a vice-presidente da Câmara de Castro Marim Filomena Sintra, há quem esteja disposto a investir no local, caso a autarquia crie a infraestrutura base.

«Há um jovem de Odeleite que vive atualmente no Dubai que está disposto a criar um parque de autocaravanismo e um centro de canoagem, em terrenos vizinhos», assegurou.

A criação do centro também permitiria a um empresário que já promove atividades náuticas na barragem tivesse mais condições para trabalhar.

A existência de uma infraestrutura desta natureza abriria, igualmente, a porta à «reconversão de algumas das casas de Odeleite em alojamento local».

Argumentos que terão sempre de vingar junto dos vereadores da oposição (dois do PS e um da coligação Castro Marim Primeiro), que têm, em conjunto, mais votos que os dois elementos do executivo PSD.

«Ainda mantemos o sonho. Pensamos que haverá possibilidade de entendimento. A nossa perceção é que toda a gente se revê neste projeto», disse Filomena Sintra.

Na prática, este “toda a gente” só será válido se pelo menos um dos vereadores da oposição estiver entre os que se reveem no Centro de Atividades Náuticas de Odeleite.

Em Dezembro, após ter ajudado a chumbar a adjudicação final da obra da Praia Fluvial de Odeleite, Célia Brito, vereadora do PS na Câmara de Castro Marim, justificou o seu voto com o facto de considerar o projeto «desajustado» e discordar da sua localização, «muito longe da aldeia».

Da parte de Filomena Sintra chega a garantia de que este é o melhor local para levar a cabo o projeto, tendo em conta que o plano da Barragem de Odeleite apenas admite três localizações para este tipo de infraestruturas, sendo a escolhida a mais próxima da aldeia.

A vice-presidente da Câmara avisou ainda que se «está a chegar ao red line» do prazo para lançar esta obra, sem perder o financiamento já aprovado. «O prazo de 60 dias já foi ultrapassado, mas é possível pedir uma prorrogação por três meses, mediante justificação», disse.

Esta obra tem um orçamento total de perto de 600 mil euros. Mas, explicou Filomena Sintra, a candidatura feita a Fundos da União Europeia apenas contempla 340 mil euros, já que foi feita «com base num estudo prévio».

«Acredito que tudo se resolverá. Na reunião em que foi chumbada a adjudicação, ficou logo falado que se iria dialogar para introduzir algumas mudanças», reforçou Filomena Sintra.

Comentários

pub
pub