Universidade do Algarve discute Biologia Marinha com presença da ministra do Mar

O primeiro congresso de Biologia Marinha dos países de língua portuguesa, centrado no tema “Uma Ponte entre Mares”, realiza-se de […]

O primeiro congresso de Biologia Marinha dos países de língua portuguesa, centrado no tema “Uma Ponte entre Mares”, realiza-se de 24 a 26 Janeiro, no Anfiteatro Verde, no Campus de Gambelas da Universidade do Algarve (UAlg), em Faro. A sessão de abertura contará com a intervenção de Ana Paula Vitorino, ministra do Mar.

«O mundo de expressão portuguesa é caracterizado pela elevada biodiversidade marinha e por sistemas oceanográficos complexos, englobando uma vasta área geográfica. Dada a longa tradição de investigação marinha nestes países, urge estabelecer uma plataforma internacional para divulgar resultados e promover colaborações», diz a UAlg.

Este primeiro congresso terá como foco a disseminação da ciência marinha feita em português, assim como a construção de uma rede internacional de investigadores.

As sessões de trabalho vão-se centrar em três eixos de interesse: recursos marinhos, biodiversidade, conservação e biologia evolutiva.

O congresso terá uma única sessão plenária para que todos os congressistas possam conhecer a realidade da investigação nestas três áreas. Na abertura de cada eixo decorrerá uma palestra plenária.

Está prevista a participação de membros da comunidade científica oriundos do Brasil, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Angola e Cabo Verde, bem como individualidades ligadas aos vários setores em destaque.

Para Rita Castilho, docente e investigadora da UAlg e que faz parte da comissão científica do Congresso, «este evento reveste-se de primordial importância porque é a primeira vez que a comunidade científica de língua portuguesa se reúne à volta de temas ligados à Biologia Marinha».

Segundo a investigadora, «esse facto vai permitir que os participantes tomem conhecimento das principais linhas de investigação que estão a ser desenvolvidas nos diferentes países, e reúne as condições ideais de incubação de redes colaborativas nos vários domínios abordados».

Para consultar o programa completo, clique aqui.

Comentários

pub
pub