Lagos acolheu comemorações algarvias do Dia da Europa

Lagos acolheu, a 9 de Maio, as comemorações algarvias do Dia da Europa, que decorreram tendo como temas o Mar, […]

Lagos acolheu, a 9 de Maio, as comemorações algarvias do Dia da Europa, que decorreram tendo como temas o Mar, os 60 anos sobre a assinatura dos Tratados de Roma e os 30 anos do programa Erasmus.

A iniciativa e convite partiram da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve, tendo integrado cerimónias mais protocolares, bem como peddy papers, visitas e um concerto.

O programa comemorativo do Dia da Europa, co organizado pela Câmara Municipal de Lagos, a CCDR Algarve, o Centro Europe Direct Algarve e o Programa Operacional Regional CRESC Algarve 2020, teve o seu início na Praça Gil Eanes, com o Hastear das Bandeiras, acompanhado pela interpretação do Hino da Europa pela Banda Filarmónica Lacobrigense 1º de Maio.

Seguiram-se as alocuções oficiais dos presidente da Câmara de Lagos e da CCDRA, Maria Joaquina Matos e Francisco Serra.

“Hoje, mais do que em qualquer outro tempo, é de especial importância comemorarmos a Europa”, afirmou a autarca de Lagos, referindo que “assinalar este dia é especial, pois celebramos os 60 anos do Tratado de Roma, fundador do projeto de integração europeia que se consolidou num projeto de cooperação e solidariedade, num espaço que garantiu a paz e a prosperidade, num espaço que se foi alargando ao longo de décadas e que continua a constituir-se como garantia de liberdade, democracia, espaço sem fronteiras, que respeita as diversas identidades, espaço de acolhimento para os mais variados e diferentes povos que aqui procuraram constituir o seu próprio projeto de vida”.

Para Maria Joaquina Matos, não há dúvidas de que “somos a maior economia do mundo, parceiros privilegiados nas relações comerciais, o maior espaço de ajuda humanitária e preocupados com um futuro sustentável na defesa do ambiente”.

Ainda assim, não pôde deixar de referir que “nos últimos anos temos vivido tempos difíceis, de forte confronto ideológico”, expressando a este propósito o seu “regozijo pelo resultado eleitoral em França, que acabou por dar vitória ao projeto europeu”.

 

Recordando que os portugueses aderiram à Europa em 1986, “num grande desafio político de dirigentes nacionais da altura”, a autarca destacou a figura de Mário Soares, “que aqui, e hoje, homenageio. A ele, e a todos os que o acompanharam, devemos estar agradecidos”.

31 anos depois de Portugal ter aderido à Europa, a presidente da Câmara de Lagos defendeu que “o nosso país assume um papel de relevância na Europa. Hoje assumimos um papel ativo, destacamo-nos não só pela localização estratégica, pela história e pelo clima, mas pela visão, pelo empreendedorismo, pela excelência dos serviços e trabalhos que prestamos. O futuro da Europa está nas nossas mãos”.

Esta opinião foi partilhada pelo presidente da CCDR Algarve, que defendeu desde logo que, comemorar o Dia da Europa, “é, não só, um ato de confiança e de afirmação no sentido de cidadania, mas é igualmente fundamental que consigamos transmitir que o espírito da Europa está diariamente em construção, e que muito temos lutado para que se afirme, e devemos continuar a fazê-lo, sempre norteados por valores como a fraternidade, a coesão social, a inclusão e a solidariedade internacional”.

Agradecendo ao Município de Lagos, na pessoa da sua presidente, a colaboração da autarquia para co organizar estas comemorações, Francisco Serra lembrou que “celebrar o Dia da Europa é também evocar os caminhos da globalização. E foi exatamente aqui em Lagos que se iniciou o movimento da globalização que, nos dias de hoje, associamos sempre à descoberta e à partilha do conhecimento”.

 

Para o presidente da CCDR, o mais importante é o trabalho de sensibilização que deve ser feito para que “todos os portugueses possam ter a consciência do que é realmente pertencermos a este grande espaço – a Europa –, que no fundo se consubstancia num laboratório vivo da sociedade, onde podemos viver, aprender e construir todos os dias”.

E neste ponto em concreto, Francisco Serra referiu que “também as autarquias têm um papel ativo, que deve ser desempenhado diariamente, uma vez que são os órgãos com maior proximidade com as suas populações”. No que diz respeito ao papel das instituições mais a nível regional, como a CCDR Algarve, o responsável por este órgão deixou ainda a certeza que “temos vindo a trabalhar para contribuir qualitativamente para a melhoria dos territórios com maiores dificuldades, principalmente os mais rurais, fazendo uso dos fundos comunitários aos quais nos podemos candidatar”.

A terminar, aquele responsável deixou um apelo a todos os presentes para “um maior empenho na preservação e crescimento do espírito europeu”, reafirmando “o compromisso no esforço de valorização da nossa região para que possamos ter melhor qualidade de vida, melhor emprego e que nos possamos orgulhar, todos os dias, em pertencer a esta Europa”.

A cerimónia oficial, na Praça Gil Eanes, foi encerrada com a performance “Daqui partiram caravelas”, por Manuel Neto dos Santos. A manhã contou ainda com uma visita a projetos de Lagos co financiados pelo PO Regional (Igreja de Santo António / Museu Municipal Dr. José Formosinho e Muralhas) e foi pontuada com algumas iniciativas dirigidas ao público mais jovem.

À tarde, no auditório dos Paços do Concelho Séc. XXI, decorreu a conferência Ris3Azul, onde estiveram em debate as escolhas regionais, consubstanciadas na Estratégia Regional de Investigação e Inovação para a Especialização Inteligente (RIS3 Algarve), nos projetos em curso, no posicionamento do Algarve na Política Comum de Pescas e na valorização dos recursos do Mar.

O Dia da Europa fechou com “chave de ouro”, no Centro Cultural de Lagos, onde teve lugar um concerto aberto à população, pela Academia de Música de Lagos, com a Orquestra de Sopros do Algarve.

 

Comentários

pub
pub