Três razões para ir a Santiago de Cacém: Avejões, o melhor quarteto de cordas do mundo e a plantação de sobreiros

O Festival Terras sem Sombra muda agora de cenário para Santiago do Cacém, onde está preparado mais um programa intenso […]

O Festival Terras sem Sombra muda agora de cenário para Santiago do Cacém, onde está preparado mais um programa intenso de descobertas em torno do património, música e biodiversidade.

Nos dias 25 e 26 de Março, as atenções concentram-se na história e na arte de uma terra que pertenceu à Ordem militar de Santiago da Espada, sem esquecer a rica “mitologia” local e, claro está, as pessoas que aqui habitam – e que se irão envolver na plantação de sobreiros, ajudando a salvar a mata do antigo convento de Nossa Senhora do Loreto.

O Festival conta ainda com a presença de um agrupamento musical de exceção, vindo dos Estados Unidos.

Como começou a ser hábito na edição deste ano, o evento começa sábado, às 14h30, com uma visita ao centro histórico de Santiago do Cacém, terra senhorial, onde igrejas, palácios e mansões guardam tesouros históricos.

A matriz, no alto do castelo, é o ponto de encontro de um percurso que visitará esta fortaleza, a tapada do Palácio dos Condes de Avillez, a antiga judiaria, a capela das Almas, a igreja da Misericórdia, a mais do que centenária Sociedade Harmonia e outros monumentos pouco conhecidos, sem esquecer um moinho de vento, recentemente recuperado nas Cumeadas.

O foco do passeio, no entanto, será o palácio dos Condes de Bracial, belo edifício da época romântica, e que abre as portas ao público, pela primeira vez, neste dia.

Mas andar pelas ruas antigas da cidade é também a ocasião para conhecer histórias de outros tempos e confrontar usos e tradições. Por exemplo, a lenda do túnel que liga o castelo de Santiago às ruínas de Miróbriga, desafiando as leis da gravidade.

Ou o medo causado pela aparição de avejões (fantasmas), que se manifestavam, sobretudo em noites de Lua cheia, em duas encruzilhadas da povoação, os Cantos do Meio-Dia e os Cantos de Santo António. Ou os sustos causados pela alma penada da “condessa velha” aos que se aventuravam, fora de horas, na rua em cotovelo, junto à Casa das Heras…

 

De Nova Iorque para o Alentejo: Brentano String Quartet

Para o serão, está reservado um grande concerto, com aquele que é considerado pela crítica como um dos melhores – senão o melhor – quartetos de cordas da atualidade.

Depois de visitar algumas das principais capitais europeias, o Brentano String Quartet termina a sua itinerância no Alentejo, com o concerto “Perpétuo Movimento: Em torno d’A Arte da Fuga”. Trata-se de um tributo a J. S. Bach, em que o célebre compositor alemão vai ser escutado a par de Gesualdo, Kurtag, Gubaidulina e Britten.

O Brentano String Quartet é atualmente o quarteto titular residente da mítica Yale School of Music, sucedendo ao Tokyo Quartet nessa posição.

Desde a sua criação, em 1992, tem sido muitíssimo aplaudido pelo público e pela crítica. Nas últimas temporadas, tem viajado incansavelmente, percorrendo os Estados Unidos, Canadá, Europa, Japão e Austrália – e atuando nos teatros mais prestigiosos do mundo.

A propósito do programa que foi anunciado para o Terras sem Sombra, escreve o Washington Post: “gratificante em todos os sentidos”. E o London Independent vai ainda mais longe, ao classificá-lo como “apaixonante e fascinante”.

 

Defender o antigo convento do Loreto e a sua mata de sobro

Na manhã de domingo, às 10h00, o Festival Terras sem Sombra continua, desta vez na sua vertente de defesa da biodiversidade. E o alvo será a paisagem cultural em torno do antigo convento de Nossa Senhora do Loreto.

Aproveitando a proximidade ao Dia Mundial da Floresta, a jornada será consagrada à salvaguarda do montado de sobro, incidindo num aspeto fulcral da sua continuidade – a renovação. Para tal, serão plantadas várias dezenas de sobreiros, provenientes da Mata Nacional de Valverde, em Alcácer do Sal.

Pretende-se ainda definir um “caderno de encargos” para o acompanhamento das plantas, assegurando a sua proteção. Esta iniciativa irá envolver a comunidade local: quem plantar um sobreiro será o seu protetor e compromete-se a regá-lo no próximo Verão, de modo a garantir a sua sobrevivência. Uma placa assinalará o nome do “padrinho” de cada árvore.

Todas as atividades do Festival Terras sem Sombra são gratuitas (visita guiada, concerto e atividade pela biodiversidade) e não precisam de inscrição.

 

Programa de Santiago do Cacém

25 de Março
Património
14h30 – 17h30 – Visita ao Centro Histórico
Local em destaque – Palácio dos Condes de Bracial
Ponto de encontro – Igreja Matriz de Santiago Maior

Música
21h30 – Brentano String Quartet
Perpétuo Movimento: Em torno d’A Arte da Fuga
Local: Igreja Matriz de Santiago Maior

Viola_ Misha Amory
Violino_ Serena Canin
Violoncelo_ Nina Lee
Violino_ Mark Steinberg

26 de Março

Biodiversidade
A Paisagem Cultural em torno do Convento do Loreto – assegurar a sua continuidade
10h00 – Saída _ Igreja Matriz de Santiago Maior

Comentários

pub
pub