Câmara de Loulé retira passadiço e estrutura em pedra para «corrigir» o Largo de São Francisco

«Esta foi uma intervenção bem intencionada, mas que não resultou. Acontece! (…) E a melhor coisa a fazer perante um […]

Projeto requalificação Largo S Francisco apresentado em Loulé_1«Esta foi uma intervenção bem intencionada, mas que não resultou. Acontece! (…) E a melhor coisa a fazer perante um erro não é ignorá-lo, é dizer: quando houver oportunidade, vamos corrigir esse erro», defendeu o presidente da Câmara de Loulé.

Para Vítor Aleixo, chegou a oportunidade de requalificar o emblemático Largo de São Francisco, na Baixa da cidade, intervenção que servirá para retirar uma estrutura ali construída há cerca de dez anos, que, garante o edil, nunca foi bem aceite pela população, e substituí-la por calçada, árvores e bancos de jardim.

O projeto da obra foi apresentado esta terça-feira, no local onde será implantado. A obra irá custar 150 mil euros e terá um prazo de execução relativamente curto, «que andará á volta dos quatro meses». Não começa já, mas quer-se concluída «antes da Festa da Mãe Soberana», uma tradição louletana que também está ligada a este largo e à igreja ali existente, que tem lugar na época da Páscoa.

A ideia é que a obra avance quando terminarem as que estão neste momento a decorrer quando terminar a intervenção no vizinho Largo Afonso II e na rua da Barbacã, que o liga à Praça da República, ali bem perto.

Projeto requalificação Largo S Francisco apresentado em Loulé_4«Os louletanos tem uma relação afetiva com este espaço. Há alguns nove ou dez anos, este largo foi alvo de uma intervenção que não resultou. Imediatamente se levantou um clamor público, porque as pessoas acharam a intervenção infeliz e entenderam que lhes tinham roubado um espaço com o qual tinham uma ligação muito forte. E, sobretudo, deixou de ser fácil circular e de ser agradável estar aqui», ilustrou Vítor Aleixo aos jornalistas, à margem da apresentação do projeto.

Em causa, uma estrutura em pedra, com muros baixos e uma fonte, instalada na zona nascente do largo, que ocupa toda a sua largura e que permite a circulação através de um passadiço de madeira.

Desta estrutura, realizada na altura em que Seruca Emídio era o presidente de Câmara, apenas serão mantidos os repuxos de água, que saem de uma grelha no chão, «para manter a frescura do espaço». Tudo o resto será desmantelado e substituído. No lado poente, onde há uma praça aberta de calçada, um pequeno café, uma esplanada e zona ajardinada, não serão feitas alterações.

«O que nós fizemos foi um pequeno projeto de alteração de uma obra que já estava feita. O que se pretende, com este projeto apresentado hoje, é desimpedir este largo da barreira e dos inúmeros obstáculos que tem, para que a população possa cá vir, estar, conversar, passear, conviver… no fundo, voltar a ter uma relação muito mais amigável com este espaço, que sentiram que perderam com a obra original», considerou Vítor Aleixo.

Projeto requalificação Largo S Francisco apresentado em Loulé_3«Tudo aquilo que se vê agora, com o passadiço, montes de degraus e desníveis, que impedem as pessoas de circular, vai desaparecer. E vamos colocar calçada, pôr mais árvores e mais bancos. É uma intervenção simples, mas que vai humanizar este largo», acrescentou.

O edil acredita que a população compreenderá este investimento e aplaudirá a obra, dando o exemplo das muitas pessoas que dirigiram ao Largo de São Francisco, para assistir in loco à apresentação do projeto. Os habitantes e comerciantes locais terão comparecido, sobretudo, por curiosidade, mas, após alguns esclarecimentos, a maioria estava visivelmente satisfeita com a intenção da autarquia.

«Esta obra foram as pessoas que a pediram. Há muito tempo que os cidadãos aguardam pela correção e melhoria deste largo. Não tenho dúvidas de que a população de Loulé vai gostar da intervenção que aqui se vai fazer», acredita Vítor Aleixo.

Comentários

pub
pub