Autódromo do Algarve passa para as mãos do Estado Português

O Estado, através da sua empresa de capital de risco Portugal Capital Ventures, adquiriu a Parkalgar Serviços, empresa gestora do […]

O Estado, através da sua empresa de capital de risco Portugal Capital Ventures, adquiriu a Parkalgar Serviços, empresa gestora do Autódromo Internacional do Algarve , aguardando que a Autoridade da Concorrência (AdC) dê agora luz verde à operação.

​«A Portugal Capital Ventures, Sociedade de Capital de Risco, SA, notifica a aquisição do controlo exclusivo da sociedade Parkalgar Serviços, SA, que, por sua vez, vai adquirir o controlo exclusivo sobre um conjunto de ativos que integram um Estabelecimento Comercial localizado em Portimão», pode ler-se no comunicado publicado no sítio eletrónico da Autoridade da Concorrência.

Esta aquisição da empresa proprietária do Autódromo e de outros equipamentos e ativos aí situados por parte do Estado é o culminar do Plano de Reestruturação Financeira aprovado em novembro do ano passado pelo Tribunal de Portimão.

O Plano previa o perdão de um quarto da dívida total acumulada de 160 milhões de euros (40 milhões), bem como a remissão de juros, a redução de custos com pessoal, o perdão de indemnizações, a extensão de prazos e a utilização de apartamentos ou lotes de terreno para pagamento da dívida.

O BCP e a Bemposta representavam mais de dois terços dos créditos, pelo que tiveram de aprovar o plano de reestruturação para que este fosse colocado em prática.

Assim, o BCP, responsável por 117,4 milhões de euros de crédito reconhecido, aceitou reduzir a dívida da Parkalgar para 94,3 milhões, enquanto a construtora Bemposta manteve a sua dívida de 10,3 milhões.

Com a aquisição agora anunciada, as dívidas da Parkalgar passam para a alçada do Estado, mas este também assume a gestão total de todo o complexo do Autódromo do Algarve, através da sua empresa de capitais de risco Portugal Capital Ventures.

A Portugal Capital Venture, ainda segundo a nota da AdA, é uma «sociedade de capital de risco que investe o seu capital próprio, bem como os fundos sob sua gestão, em empresas ou projetos com potencial de crescimento elevado».

«Intervém neste processo na qualidade de sociedade gestora de um ou mais fundos por si geridos, ainda a designar, que adquirirão uma participação maioritária no capital social da Parkalgar Serviços», acrescenta o comunicado da Autoridade da Concorrência.

Com esta operação, o Autódromo Internacional do Algarve, inaugurado em 2008, passa a ser o segundo complexo de desportos motorizados a passar para as mãos do Estado em Portugal.

É que o Autódromo do Estoril, construído em 1972 pela empresária Fernanda Pires da Silva (Grão Pará) é atualmente detido pela Parpública, sociedade de participações do Estado. Já por diversas vezes foi posto à venda, mas nunca surgiu um comprador.

No caso da pista algarvia, também se tem falado da sua eventual venda, tendo mesmo surgido rumores sobre o alegado interesse de Max Mosley, patrão da F1 e detentor de todos os direitos de imagem da competição, até agora nunca confirmado oficialmente.

O Autódromo Internacional do Algarve completará cinco anos de atividade a 2 de novembro próximo.

 

Comentários

pub
pub