Instituições solidárias já beneficiaram de produção das Hortas Sociais de Loulé

A Câmara de Loulé distribuiu, na passada semana, 15 quilos de couves provenientes das hortas sociais à Santa Casa da […]

A Câmara de Loulé distribuiu, na passada semana, 15 quilos de couves provenientes das hortas sociais à Santa Casa da Misericórdia de Loulé e à Fundação António Aleixo. As instituições fornecem, cada uma, uma média de 65 refeições por dia, a pessoas carenciadas.

A ação de distribuição contou com o apoio do José Cristo (responsável pela supervisão das Hortas Sociais de Loulé), Irene Silveira (diretora técnica da Santa Casa da Misericórdia de Loulé) e Carina Calixto (diretora técnica da Fundação António Aleixo).

Através desta ação simbólica pretendeu-se acentuar o âmbito do apoio social prestado pelas Hortas Sociais de Loulé (Bicas Velhas), às instituições do Concelho que dão suporte aos mais carenciados através do fornecimento de refeições diárias.

As Hortas Sociais de Loulé são um equipamento camarário que proporciona aos cidadãos, em especial aos mais carenciados, a possibilidade de cultivarem e assim poderem usufruir de produtos agrícolas frescos, produzidos por si e pelo seu agregado familiar.

As Hortas Sociais de Loulé têm, também, a função de promover a importante relação entre o Homem e a Terra como forma de equilíbrio, interação e integração com o meio social e ambiental. De salientar que as práticas agrícolas nas Hortas Sociais de Loulé têm envolvido todo o agregado familiar dos beneficiários, incluindo mulheres e crianças, tendo-se vindo também a constatar uma elevada partilha de conhecimentos e troca de produtos agrícolas entre os vários utilizadores.

 

Hortas sociais também para os mais novos

Para a faixa etária mais jovem, no talhão municipal das Hortas Sociais de Loulé, estão em curso ações de sensibilização no âmbito do projeto “horta biológica”, com a participação dos alunos da escola EB1 nº5 Hortas de Santo António, de Loulé.

As Hortas Sociais de Loulé são compostas, para além do talhão municipal, por 20 talhões, com cerca de 30 metrosquadrados cada um, os quais se encontram entregues a agregados familiares. Para apoio aos hortelãos, existem instalações sanitárias, uma casa para guardar as ferramentas, um viveiro para germinação de plantas e um espaço para convívio.

Em termos gerais, trata-se de um espaço que permite, à autarquia, o desenvolvimento de ações de formação no âmbito das práticas de agricultura biológica, germinação de plantas, biopesticidas, confeção de compotas e conservas.

Comentários

pub
pub