pub
Imprimir

São Brás e Monchique são os únicos concelhos do Algarve a não assinar compromisso Autarquias Livres de Petróleo e Gás

São Brás de Alportel e Monchique são os dois únicos concelhos do Algarve onde até agora nenhum dos candidatos autárquicos se comprometeu com o combate à prospeção e exploração de petróleo e gás em Portugal, segundo os dados da campanha Autarquias Livres de Petróleo e Gás, apresentados este sábado.

Aliás, em toda costa do país, apenas um quarto (25%) das candidaturas às Câmaras Municipais do litoral português se comprometeram até ao momento. Ao todo, apenas 81 cabeças de lista de candidaturas às Câmaras, desde Matosinhos até Vila Real de Santo António, assumiram o compromisso de fazer tudo para que os seus municípios sejam Zonas Livres de Petróleo e Gás, travando as concessões de prospeção e exploração de petróleo e gás em Portugal.

Esta campanha, que reúne 18 organizações locais e nacionais, contactou durante os últimos meses 261 candidaturas de vários partidos em 58 municípios afetados pelas concessões de exploração de petróleo e gás.

Segundo os seus promotores, «dificuldades de obtenção de contactos junto da Comissão Nacional de Eleições, câmaras municipais e tribunais levaram a que algumas candidaturas nestes municípios não tivessem sido contactadas». Contudo, a campanha conseguiu contactar mais de 80% dos/das candidatos/as.

Os resultados, a uma semana do ato eleitoral de 1 de Outubro, são 81 compromissos assinados em 44 municípios, representando 10 partidos políticos.

São Brás e Monchique foram, assim, dois dos 14 municípios de todo o litoral onde nenhum dos candidatos assumiu o compromisso.

Por outro lado, tal como no resto dos 44 concelhos considerados, também no Algarve nenhum dos cabeças de lista da CDU se comprometeu com a campanha com a campanha Autarquias Livres de Petróleo e Gás.

Aliás, em todo o Algarve, o pleno da aceitação deste compromisso apenas se verifica entre os candidatos do Bloco de Esquerda e os da PAN Partido Pessoas–Animais–Natureza.

Dos atuais presidentes que se recandidatam, aderiram já a este compromisso José Amarelinho (PS), em Aljezur, Francisco Martins (PS), em Lagoa, Vítor Aleixo (PS), em Loulé, Rogério Bacalhau (PSD/CDS-PP/MPT/PPM), em Faro, e ainda Jorge Botelho (PS), em Tavira.

Nos restantes concelhos, nenhum dos atuais presidentes de Câmara se comprometeu ainda. A campanha não considerou o concelho de Alcoutim.

Curiosos são os dados obtidos nos dois concelhos algarvios onde tem sido maior a contestação à exploração de hidrocarbonetos, no mar e em terra: Aljezur e Vila do Bispo.

Em Aljezur, o atual presidente e recandidato José Amarelinho (PS), como foi dito acima, mantém a oposição à prospeção e exploração de petróleo ao largo da sua costa, enquanto o candidato da CDU (Rogério Furtado) não assina o compromisso e o candidato do PSD/CDS-PP, Hélder Cabrita, não foi contactado.

Em Vila do Bispo, o presidente e recandidato Adelino Soares (PS) e a candidata da CDU, Paula Vilallonga, são os únicos que não assinaram o compromisso do movimento «Autarquias Livres de Petróleo e Gás». Todos os restantes candidatos assinaram: Sebastião Pernes (Bloco de Esquerda). Afonso Nascimento (PSD/CDS-PP/MPT/PPM) e Fernando Cortes (independente).

A campanha avalia os resultados obtidos e expressos no mapa (que pode ser consultado em autarquiaslivresdepetroleo.pt) como úteis aos eleitores preocupados com a exploração de petróleo e gás em Portugal.

As organizações envolvidas nesta campanha comprometem-se a continuar luta contra a exploração petrolífera em Portugal até todos os contratos no país terem sido cancelados e se realizar o necessário processo de descarbonização total da economia portuguesa.

A campanha continuará a receber compromissos através do email info@autarquiaslivresdepetroleo.pt até à véspera do processo eleitoral, atualizando o mapa com a máxima brevidade possível.

Comentários

pub