pub
Imprimir

No Centro Ciência Viva de Lagos, vai-se ver, desenhar e conhecer com João Simões

A palestra “Ver, Desenhar, Conhecer”, com o ilustrador João Simões, autor da exposição “Portugal Selvagem”, realiza-se esta sexta-feira, dia 9 de Junho, às 18h30, no Centro Ciência Viva (CCV) de Lagos.

Na conversa “Ver, Desenhar, Conhecer”, vai-se «falar e ouvir falar do que é desenhar para este autor. Muitas vezes, devido à falta de treino, desenhamos o que sabemos – vemos de olhos fechados. Vemos o que já sabemos, e, porque sabemos, deixamos de ver», diz o CCV de Lagos, que apresenta, assim, mais um “Sextas com Ciência”.

«Para desenhar, precisamos de ver. Ver verdadeiramente. Não basta olhar. É por isso que muitas pessoas, ao desenharem a figura humana de perfil, desenham o olho de frente. Já sabem como é um olho e nem se dão ao trabalho de verem verdadeiramente», acrescenta.

Para João Simões, é como se só conhecesse realmente algo depois de o desenhar. O desenho obriga-o a ver, depois desenhar e assim conhecer.

Nesta palestra, o autor também falará da ilustração científica, da sua história em Portugal e de técnicas artísticas, pois foi a ilustração científica que mudou a maneira como passou a abordar o desenho.

E, claro, falará da exposição “Portugal Selvagem”, patente no Centro Ciência Viva de Lagos até 11 de Junho, assim como do porquê de representar animais de Portugal, das técnicas que usou, do tempo que demorou e de projetos futuros.

Já na parte da manhã, o ilustrador estará com os alunos da Escola Secundária Júlio Dantas para conversar e demonstrar algumas das técnicas que utiliza.

João Simões é designer e ilustrador, tendo estudado Robótica no Instituto Superior Técnico. Estudou, também, História de Arte e Desenho com Modelo, na Sociedade Nacional de Belas Artes, Ilustração Científica, na Faculdade de Ciências, e Ilustração Científica, no Instituto de Artes e Ofícios da Universidade Autónoma de Lisboa.

Embora desenhando desde sempre, foi no curso de ilustração científica que descobriu a sua técnica preferida – o scratchboard. Esta técnica permite representar com detalhe o seu tema favorito – o mundo animal.

«É um trabalho moroso e de paciência que cada ilustração, dependendo do detalhe e tamanho, pode demorar meses a concluir», diz o CCV de Lagos. João Simões também usa outras técnicas como o guache, a aguarela, o aerógrafo e a pintura digital.

O autor gosta de dar passeios pela natureza, ver as aves, o mar, encontrando sempre algo de novo para ver, desenhar e conhecer.

A entrada na palestra é livre.

Comentários

pub