pub
Imprimir

Depois de derrocada no Porto de Olhão, Docapesca anuncia investimento em 2017

Porto de Pesca Olhão Novembro 2016_HR_9O Porto de Olhão vai receber obras, em 2017, avaliadas em 250 mil euros. O estado de degradação do porto tem recebido críticas, nomeadamente da Olhãopesca, e a Docapesca, responsável pela sua administração, garante que, para o ano, haverá investimento na infraestrutura.

No final de Outubro, a Olhãopesca, em comunicado, pediu «medidas urgentes no porto de pesca de Olhão, no sentido de garantir-se a segurança de pessoas e bens» e denunciou que uma das estruturas de acostagem de embarcações «colapsou». «Por mero acaso, não ocorreu um acidente grave, fatal, com pessoas e bens», salientou a organização de produtores, sublinhando ainda que «todos os restantes pontões do Porto de Pesca encontram-se na mesma situação, ou seja, em risco de desmoronamento iminente».

Contactada pelo Sul Informação, a Docapesca confirmou que, no dia 17 de Outubro, «se verificou uma derrocada parcial de um dos troços do cais da zona oeste do porto de Olhão, conhecido por cais da sardinha da lota antiga».

A Docapesca, «imediatamente após esta ocorrência, em articulação com a Capitania do Porto de Olhão, procedeu à sinalização da interdição de acesso ao local, posteriormente reforçada através da publicação de um Edital».

Porto de Pesca Olhão Novembro 2016_HR_10A entidade, ao nosso jornal, garantiu que «foram já contactadas duas empresas especializadas neste tipo de infraestruturas, para avaliação e identificação das soluções que melhor garantam a segurança no local, aguardando-se a receção das respetivas propostas».

Além destas reparações, a Docapesca revelou que, «para o ano de 2017, está previsto para o Porto de Olhão um investimento em infraestruturas na ordem dos 250 mil euros».

Entre as obras previstas, encontram-se a criação de estendal de redes, a pavimentação e reabilitação da rede viária, pedonal e ordenamento de tráfego da zona afeta à área do porto, a reabilitação do cais/rampa de apoio a cargas e descargas de mercadorias, para as ilhas, a substituição de armário de distribuição elétrica junto do posto de combustível e o arranque do projetos de captações de água salgada, central de bombagem e tratamento e rede de águas de incêndio».

No comunicado enviado às redações, a Olhãopesca tinha pedido ainda o desassoreamento de todo o fundo do porto de pesca, uma intervenção que poderá dar os primeiros passos para o ano, uma vez que a Docapesca garante que, «no sentido de avaliar com rigor as condições existentes, no decorrer de 2017, a Docapesca irá realizar um levantamento topo-hidrográfico no Porto de Olhão».

 

Fotografia: Hugo Rodrigues|Sul Informação

Comentários

pub
pub

Em foco

pub
Logo Lugar ao Sul
pub
pub