Acidentes de viação causaram menos mortos no Algarve em 2023

Apesar disso, a sinistralidade em geral, bem como a considerada mais grave, aumentaram

Imagem de arquivo

O Algarve registou, em 2023, uma diminuição de 13,5% do número de vítimas mortais resultantes de acidentes de viação, em relação ao ano anterior, segundo o mais recente «Relatório Anual de Sinistralidade a 24h, fiscalização e contraordenações rodoviárias». 

Ainda assim, houve um aumento nos outros três indicadores usados na avaliação da sinistralidade, na região algarvia, nomeadamente nos Acidentes com Vítimas (5,6%), nos Feridos Graves (10,9%) e nos Feridos Ligeiros (4,9%).

Mesmo com menos cinco vítimas mortais em 2023 – diminuíram de 37 para 32 -, o Algarve registou um aumento de 6,6% da denominada sinistralidade mais grave, que soma as mortes na estrada ao número de feridos graves.

No Algarve, a estrada que registou maior número de vítimas mortais foi a EN125, um total de sete (nove, contabilizando variantes a esta estrada). Na A22 registou-se um morto e no IC1 dois.

Em 2023, houve 193 pessoas que ficaram feridas com gravidade na sequência de acidentes, no distrito de Faro, quando, no ano anterior, foram 174. Dos 2149 acidentes com vítimas (2035 em 2022), resultaram ainda 2403 feridos ligeiros (2290 no ano anterior).

Já no distrito de Beja, houve subidas em todos os indicadores, com destaque para a sinistralidade mais grave, com um aumento de 30,6%, a terceira maior a nível nacional.

Na sinistralidade em geral, aumentaram os acidentes com vítimas (6,8%, de 455 para 486), as vítimas mortais (23,8%, de 21 para 26), os feridos Graves (32,8%, de 64 para 85) e os feridos ligeiros (8,2%, de 527 para 570).

A nível nacional, verificou-se um aumento homólogo do número de acidentes em 16 dos 18 distritos, com maior expressão em Portalegre (+16,5%), Leiria (+10,8%), Braga e Setúbal (+9,9% em cada). Coimbra (-3,1%) e Vila Real (0%) foram as exceções.

No que diz respeito ao número de vítimas mortais, registaram-se aumentos em 9 distritos, com os maiores incrementos em valor absoluto nos distritos de Castelo Branco e Porto (+10 e +9, respetivamente). Relativamente às diminuições, destacam-se Lisboa e Viseu com -13 e -9 vítimas mortais, respetivamente. Ao todo, morreram na estrada 467 pessoas, mais cinco que em 2022 (462), um aumento de 1,1%.

Os feridos graves aumentaram em 11 dos 18 distritos do Continente, destacando-se os incrementos verificados em Braga (+56) e Leiria (+36). Pelo contrário, registaram-se diminuições em Portalegre (-16), no Porto e em Coimbra (-9 em cada), em Setúbal (-8), entre outros.

 

Leia mais um pouco!
 
Uma região forte precisa de uma imprensa forte e, nos dias que correm, a imprensa depende dos seus leitores. Disponibilizamos todos os conteúdos do Sul Infomação gratuitamente, porque acreditamos que não é com barreiras que se aproxima o público do jornalismo responsável e de qualidade. Por isso, o seu contributo é essencial.  
Contribua aqui!

 



Comentários

pub