Quem quer ser voluntário no Centro Nacional de Reprodução de Lince Ibérico em Silves?

As crias nascidas em Abril vão começar a ser treinadas, tendo em vista a sua reintrodução na natureza

Créditos: CNRLI/ICNF

O programa de voluntariado do Centro Nacional de Reprodução de Lince Ibérico (CNRLI), em Silves, está de novo aberto e contempla quatro vagas para uma posição de voluntariado integrada na equipa de etologia e videovigilância do CNRLI, com a duração mínima de três meses, de Agosto a Outubro próximos.

Segundo o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), o voluntariado «decorre na área de Etologia e Comportamento Animal e todos os voluntários terão formação neste campo, adaptado ao funcionamento e animais do CNRLI».

«Procuramos pessoas motivadas e com formação nas áreas de ciências naturais, interessadas em voluntariar no CNRLI, onde se vai dar início ao período de Treino de Reintrodução das crias nascidas em cativeiro durante o mês de Abril», acrescenta o ICNF.

Nesta fase, «as crias vão desenvolver as competências de caça e evitamento a humanos, necessárias ao sucesso da sua reintrodução no meio selvagem», acrescenta o organismo responsável pelo Centro de Reprodução instalado na serra de Silves.

O alojamento durante este período será feito, de forma gratuita, nas instalações do CNRLI, com possibilidade de receber subsídio de alimentação de 4,77 euros por cada dia trabalhado.

Para mais informações e candidatura, os interessados devem contactar e enviar o seu currículo para cnrli.voluntarios@gmail.com.

O programa de reprodução e de reintrodução do lince-ibérico na natureza estão já a dar bons resultados, como o provam os dados do Censo Lince 2020.  Pela primeira vez desde que existem dados quantificados sobre a população de lince-ibérico, foi ultrapassado o número de 1.000 indivíduos registados, em Portugal e em Espanha.

Segundo o ICNF, trata-se de «um marco muito relevante no processo de recuperação desta espécie e melhoria do seu estado de conservação».

Desde o início deste século XXI, foram desencadeadas diversas iniciativas de conservação, entre as quais se destacam diversos projetos LIFE, desde 2002 até à data, e o início da reprodução em cativeiro, no âmbito do programa de conservação ex situ. «Graças a este grande esforço de conservação, nos últimos anos a população de lince-ibérico não parou de crescer em número e em relação à sua área de presença», conclui o ICNF.

 

 



Comentários

pub