Novembro tem muita luz, castanhas e medronho no 365Algarve

Há muito para ver e para fazer à boleia do 365Algarve

O Festival Out-(In)verno, o LUZA, mais uma saga do medronho e até uma “Festa da Castanha” pela Via Algarviana. Eis algumas das propostas do “365Algarve” para o mês de Novembro. 

De 1 a 3 de Novembro, em Silves, o Festival Out-(In)verno vai propor concertos, caminhadas, astronomia encenada e uma Astro Party, exposições e oficinas, num projeto que assinala o V centenário da Circum-Navegação e elege a Astronomia como forma de o celebrar.

Já 14 a 16, o LUZA – Algarve International Festival of Light vai estrear-se na cidade de Faro (saindo de Loulé).

No total serão apresentadas 10 obras de artistas nacionais e internacionais, cuja matéria-prima é a luz e com as quais o público poderá interagir.

O ciclo de programação da edição de 2019 do 365Algarve parte de uma ideia de território enquanto paisagem à escala humana, convocando para a expressão artística os gestos e as práticas tradicionais da região. É assim em Medronho – Apanha, o projeto de Teatro na Serra e nas Destilarias do programa Lavrar o Mar.

Nos primeiros três dias de Novembro, este espetáculo, que acontece em Monchique, vai falar sobre a apanha do medronho, realizada em plena serra entre medronheiros, explorando o trabalho duro da colheita, fazendo uma incursão pelas canções e merendas que acompanham esta etapa.

Também em Monchique, mas a 10 de Novembro, acontecerá o segundo passeio e concerto de “Em Canto pela Algarviana”, intitulado “A Festa da Castanha”.

Aliando a música coral de diversas origens, com concertos com o Grupo Coral Ossónoba, a passeios em troços específicos da Via Algarviana, por diferentes municípios algarvios, o “Em Canto pela Algarviana” permite descobrir, em simultâneo, as tradições e a riqueza da biodiversidade do interior algarvio.

Já o 4º Festival Internacional de Piano do Algarve regressará a 16 de Novembro, em Portimão, com o pianista Adriano Jordão, o maestro Hu Youngyan e a Orquestra Sinfónica de Zhejiang, da China, que vão interpretar o concerto para mão esquerda de Ravel.

A edição deste ano do Festival Internacional de Piano do Algarve tem como tema “Ilustres desconhecidos” e permitirá, ao longo dos vários concertos, ouvir obras pouco conhecidas do grande público.

No final de Novembro será tempo de assistir à história de César Troia e respetiva família, no espetáculo “O Presente de César”, onde se falará do bacalhau, o mais português dos peixes que fala norueguês, das terras de Aljezur e dos bancos da Terra Nova, ao largo do Canadá.

Promovido pelo Lavrar o Mar, programa cultural integrado no 365Algarve, o “Presente de César” é um espetáculo que faz parte da programação do Festival da Batata-Doce de Aljezur e até haverá direito a um jantar de bordo com uma ementa especial.

Comentários

pub
pub