Renovado ISMAT de Portimão começa 2019/20 com muitas novidades

Mais oferta formativa e um corpo docente renovado são as grandes novidades neste início de ano letivo

Nova oferta formativa, bem como planos de estudo e corpo docente renovados na maioria dos cursos oferecidos. O ISMAT – Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes de Portimão está em maré de renovação e inovação, começando o ano letivo de 2019/20 com muitas novidades.

O Sul Informação falou com Célia Gonçalves Pires, administradora do ISMAT, que explicou o trabalho que tem vindo a desenvolver nesta instituição de ensino superior, desde que passou a estar à frente dos destinos do instituto.

Uma das tarefas foi a adequação da oferta formativa. «Este ano, estamos a oferecer mais um curso, a licenciatura em Gestão do Turismo, que é uma área que nós, no Algarve, temos obrigatoriamente de cobrir», revelou.

«Este é um caminho estratégico para nós a vários níveis e é muito importante termos visto esta licenciatura aprovada pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES)», acrescentou Célia Gonçalves Pires.

Este curso tem uma particularidade: o facto dos seus alunos começarem «a fazer estágio a partir do 2º ano , que será necessariamente diferente do estágio que farão no 3º ano».

A ideia é garantir que os estudantes passem por empresas de diferentes naturezas., dentro do setor do turismo.

«É também expectável que qualquer diplomado desse curso, quando terminar, tenha empregabilidade garantida. Nós, neste momento, temos parcerias e protocolos com todas as unidades hoteleiras do Algarve, com as diferentes associações do setor e, portanto, temos as condições criadas para isso», acredita a administradora do ISMAT.

 

 

 

Ainda no que toca a oferta formativa, a instituição de Ensino Superior de Portimão vai submeter, este mês, «um mestrado em Direito, outro em Gestão no Desenvolvimento de Recursos Humanos e um outro no âmbito dos Sistemas de Informação».

«Para 2020/21, pretendemos apresentar um doutoramento, para passar a instituição, que neste momento é de natureza universitária, a subir de escalão no regime jurídico», anunciou Célia Gonçalves Pires.

Também novidade é o lançamento de formação não conferente de grau, nomeadamente «de uma escola de executivos», que irá funcionar nas instalações que o ISMAT tem na avenida Miguel Bombarda, que foram alvo de obras de renovação.

Neste espaço, além desta nova oferta, funcionará uma incubadora de empresas, que será dinamizada em conjunto pelo ISMAT e pela Startup Portimão.

De resto, o instituto universitário portimonense mantém a oferta antes existente nas áreas do Direito, da Gestão, da Engenharia Informática, do Design e da Arquitetura, com as quais trabalha «há anos».

Estes cursos surgem, em 2019/20, com planos de estudo renovados, mas também com muitas caras novas, no que ao corpo docente diz respeito.

«Eu diria que, além da oferta formativa, a outra grande novidade do ISMAT, este ano, é a renovação do corpo docente. Na equipa que criámos, quisemos ter docentes que se instalem no Algarve e que vivam a instituição e que vivam também a região algarvia, uma vez que para nós é crítica a ligação à comunidade», enquadrou Célia Gonçalves Pires.

Desta forma, «virão muitos docentes de fora instalar-se no Algarve, outros docentes que já estão no Algarve que terão a sua situação contratual com o ISMAT mais reforçada, de forma a podermos contar com elas no regime de tempo integral».

O instituto superior portimonense irá apostar em doutorados, mas igualmente «na vinda de docentes estrangeiros, que nos tragam uma perspetiva mais alargada e que nos proporcionem, também, o desenvolvimento de outra vertente estratégica, que é a internacionalização da instituição».

 

 

Outra aposta da nova direção tem sido a renovação das instalações do ISMAT. No edifício principal, situado no centro histórico de Portimão, estão a ser intervencionadas várias salas.

O objetivo é garantir «a adequação do design das instalações, a adequação dos equipamentos (nomeadamente das tecnologias) e a adequação das metodologias de ensino».

«Teremos salas, eu direi até corredores, onde os alunos e os professores podem trabalhar em equipa. Teremos salas para os docentes darem resposta direta a esta interdisciplinaridade que nós pretendemos, portanto, não teremos gabinetes individuais de diretores. Teremos gabinetes em open space para fomentar o trabalho de equipa», diz.

Célia Pires promete, ainda, «a introdução de metodologias mais empreendedoras, mais ativas, muitas delas com base em case studies», bem como «uma ligação clara com a comunidade», uma das bandeiras da atual administração do ISMAT.

Comentários

pub
pub