QRER vai criar Percurso das Fontes em São Marcos da Serra

Percurso deve ser inaugurado em Janeiro de 2020

O projeto “Percurso das Fontes no troço Boião-Azilheira”, na freguesia de São Marcos da Serra, em Silves, que vai criar um percurso de 9 quilómetros, ao longo da Ribeira de Odelouca, foi aprovado pela Fundação Assistência Médica Internacional – AMI, no âmbito do projeto NOPLANETB, que é financiado pela União Europeia e pelo Instituto Camões.

O projeto da Cooperativa QRER foi aprovado em Abril, teve início a 1 de Maio, e terá a duração de 9 meses. O percurso deverá ser inaugurado em Janeiro de 2020.

Segundo explica a cooperativa, «a serra assume um papel fundamental no provimento de água doce às demais áreas geográficas do Algarve», um aspeto que «não é geralmente reconhecido» e que levou a entidade a candidatar o projeto.

A implementação do percurso incide sobre um troço da Ribeira de Odelouca, o principal afluente do Rio Arade, e apresenta cerca de 9 quilómetros (percurso de pequena rota), situando-se no limite nordeste da freguesia de São Marcos da Serra.

«Neste território, um dos aspetos mais marcantes é a ribeira, a exuberante paisagem e o seu património hidráulico que, apesar de outrora central na vivência da população, se encontra em avançado estado de degradação e claramente subaproveitado. O abandono tem tido consequências diretas na gestão do território e no aumento dos riscos de incêndios, que, em 2016, afetaram tragicamente a área», lembra a QRER.

O Percurso das Fontes «intervirá na recuperação e acessibilidade às numerosas fontes e nascentes existentes junto à ribeira e desenvolverá um roteiro interpretativo, a cargo de especialistas de várias áreas e da comunidade local, que será a sua grande anfitriã», acrescenta.

Além de «motor de sensibilização para a conservação dos ecossistemas aquáticos», o Percurso das Fontes entre Boião e Azilheira «permitirá também introduzir o turismo de natureza e será uma forma de contribuir para o justo equilíbrio e coesão dos territórios, chamando a atenção da opinião pública para a necessidade de conhecer, valorizar e proteger os recursos da serra, pois dela dependem diretamente os rios, as barragens e os aquíferos do Barrocal, destinados ao abastecimento público e à agricultura».

A Cooperativa QRER é a responsável pelo projeto e conta com o apoio da Junta de Freguesia de São Marcos da Serra, do Município de Silves, da comunidade local e de voluntários.

«Acompanhe, conheça, envolva-se e participe neste projeto, pois: Não há um Planeta B!», apela a cooperativa.

Comentários

pub
pub