Turistas britânicos aumentam em Novembro e ajudam ao crescimento das dormidas no Algarve

Ao fim de sete meses, dormidas de não residentes voltaram a subir no Algarve

A hotelaria algarvia registou 162 mil hóspedes e 687 mil dormidas, em Novembro de 2018, valores que correspondem a variações homólogas positivas de 5,7% e de 6,6%, respetivamente, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), conhecidos esta quarta-feira. Para esta subida, muito contribuíram os turistas britânicos, uma vez que este mercado aumentou 15,3%.

As dormidas dos não residentes voltaram a crescer, no Algarve, em Novembro (+5,7%), após sete meses seguidos com reduções. Apesar de esta tendência se ter verificado também no resto do país, a subida no Algarve foi muito superior à média nacional, que se fixou nos 2,2%.

Neste parâmetro, além do mercado britânico, a Espanha destacou-se na emissão de turistas, tendo registado um aumento de 21,4%.

Quanto ao mercado interno, «mais do que nunca, continua a brilhar no Algarve», segundo a Região de Turismo do Algarve (RTA). As dormidas nacionais aumentaram 11,9% em Novembro, para um total de 111 mil dormidas mensais.

Nos primeiros onze meses do ano, «as dormidas dos portugueses na região acumulam cerca de 400 mil dormidas a mais em relação ao mesmo período do ano anterior e já ultrapassam os 4,2 milhões (+10,2%) de pernoitas», realça a RTA.

Também a estada-média nos hotéis da região aumentou 0,8%, para 4,23 noites e a taxa-líquida de ocupação-cama, que se fixou nos 27,6% aumentou 0,3 p.p.

Os proveitos aceleraram, tendo, no total, apresentando um crescimento de 7,8%, enquanto os de aposento cresceram 6%.

Entre Janeiro e Novembro, os proveitos totais «estão já ligeiramente acima dos mil milhões de euros (+4,4%)», segundo a RTA.

Para João Fernandes, presidente da RTA, «embora as contas finais de 2018 ainda não sejam conhecidas, podemos comprovar que não só crescemos em valor, como também consolidámos o nível da procura turística pelo destino, praticamente igualando os melhores registos de sempre na região. E a cereja no topo deste bolo é o expressivo crescimento dos turistas britânicos na região, acima dos 15 por cento em Novembro».

Também a Associação de Hotelaria de Portugal divulgou, esta quarta-feira, os dados dos AHP Tourism Monitors, que referem que o preço médio por quarto ocupado subiu 20%, fixado-se nos 60 euros. Neste indicador, o Algarve registou a maior subida a nível nacional.

Por zonas, de acordo com a AHP, a taxa de ocupação foi idêntica no Algarve Barlavento e no Algarve Sotavento (45%), sendo que, no caso do Sotavento, este valor representa uma quebra, em relação a 2017, de 14 p.p.. Já a ocupação por quarto no Algarve Centro fixou-se nos 37%.

Comentários

pub
pub