Câmara «indignada» com a exclusão de São Brás dos Contratos de Desenvolvimento Social

Governo deixou São Brás de Alportel fora da lista dos concelhos elegíveis a assinar Contratos Locais de Desenvolvimento Social

Foto: Fabiana Saboya|Sul Informação

A Câmara de São Brás de Alportel está «indignada» por ser o único concelho do Algarve que ficou de fora da lista dos municípios que podem beneficiar dos Contratos Locais de Desenvolvimento Social, publicada num despacho de 4 de Janeiro.

A autarquia são-brasense diz que, desta forma, o concelho ficou «excluído desta possibilidade de acesso a apoios financeiros, promotores de desenvolvimento e coesão social, uma situação que a autarquia considera altamente lesiva para a população».

O presidente da Câmara de São Brás Vítor Guerreiro está já a «desenvolver diligências junto doo ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, para a retificação do despacho, encontrando-se neste momento a aguardar resposta do Governo a este apelo».

Na visão da autarquia, nada justifica a exclusão de São Brás do Program de Contratos Locais de Desenvolvimento Social, que se destina «a apoiar financeiramente, mediante candidatura, projetos de inclusão que visem melhorar os níveis de coesão social dos territórios visados».

«Sendo o envelhecimento demográfico um dos critérios de fragilidade, a par do desemprego, muito surpreende a autarquia são-brasense, esta exclusão quando o concelho apresenta um índice de envelhecimento demográfico (157,5) superior a média do Algarve (142,3) e do país (155,4) e quando falamos de um concelho, de uma única freguesia, em que 2/3 do território são compostos por área florestal, na Serra do Caldeirão», ilustrou a Câmara.

O facto de ser um concelho serrano coberto, predominantemente, por área florestal, traduz-se «numa grave ameaça de envelhecimento e desertificação humana, que impõe um enorme desafio e o necessário investimento em estratégias que visem contrariar a desertificação e incentivar à dinamização social e económica destas zonas, entendendo que este apoio poderia ser uma excelente oportunidade para tal».

Vítor Guerreiro também pede «a colaboração e empenho das entidades regionais na resolução deste problema», sublinhando ainda a sua «determinação em defender os interesses de São Brás de Alportel e exigir ao Governo a reposição desta possibilidade de apoio, fundamental ao desenvolvimento do concelho e da sua população».

Comentários

pub
pub