Auditório do Solar da Música Nova aposta na música portuguesa

Bilhetes para inauguração custam 6 euros

Música portuguesa. Esta é a grande aposta do Auditório do Solar da Música Nova, em Loulé, que vai ser inaugurado a 1 de Fevereiro.

Segundo a Câmara de Loulé, a programação artística vai incidir na «valorização e promoção regulares de projetos emergentes ou pouco conhecidos do público algarvio (sediados ou não na região) nas áreas da música, teatro, dança e multidisciplinar».

Assim, através de uma programação articulada em rede com o Cine-Teatro Louletano, será estreado a 16 de Fevereiro (sábado), às 21h30, o ciclo “Ilustres Desconhecidos”, que contará com os projetos musicais Galopim (de Faro) e a dupla Raquel Ralha & Pedro Renato (ex-Belle Chase Hotel) como convidados iniciais.

O ciclo em causa terá uma periodicidade bimestral, realizando-se sempre a um sábado às 21h30. Em Abril será a vez de Lince (projeto musical de Sofia Ribeiro), no dia 6, e de Cassete Pirata, no dia 8.

Em inícios de 2017, João Tiago Neto, mentor de bandas como os Melomeno – Rítmica e os Nome, grupos que se evidenciaram no panorama musical algarvio, decide criar um novo projeto de sua autoria de nome Galopim (“môço de recados”).

Com um EP de quatro temas lançado no ano de estreia e gravado no estúdio Mentecapta Produções Áudio com a produção de Francisco Aragão, Galopim conta já com várias participações em festivais.

De acordo com a autarquia, Galopim tem um «estilo musical que passa do pop-eletrónico ao low-fi experimental, o “moço de recados” avança para uma nova etapa, em que tem a companhia do músico, também ele algarvio, André de Oliveira nas guitarras e sintetizadores, entre outros convidados».

Raquel Ralha e Pedro Renato trabalham juntos desde o tempo dos Belle Chase Hotel. Prosseguiram caminho com Wraygunn, Azembla’s Quartet e, mais recentemente, com Mancines.

A convite do programa “Cover de Bruxelas”, que emite semanalmente na Rádio Universidade de Coimbra, juntaram-se na Blue House, pela primeira vez como um duo, para gravar três covers.

Assim surgiram as versões de “Nerves” (Bauhaus), “Peek-A-Boo” (Siouxsie and The Banshees) e “Right Now” (Herbie Mann/Mel Tormé), que funcionaram como motor de arranque a The Devil’s Choice, Vol. I, um disco integral de versões, editado pela mão da Lux Records, que revisita alguns dos mais marcantes temas da vasta biblioteca musical que preenche o imaginário único dos dois músicos.

O evento tem a duração aproximada de 120 minutos (com intervalo, no qual será feita uma breve apresentação da programação pensada para aquele novo equipamento, incluindo beberete), destina-se a maiores de 6 anos e o bilhete tem um custo de 6 euros, sem descontos.

Comentários

pub
pub