Portimonense a jogar com nove perde ao cair do pano

O Portimonense viu Lucas e Manafá ser expulsos numa altura em que o jogo estava empatado a uma bola

O Portimonense perdeu por 2-1 com o Rio Ave, num jogo que chegou a estar a vencer e foi decidido com um golo marcado seis minutos depois do final do tempo regulamentar e quando os algarvios estavam reduzidos a nove.

A equipa de Portimão mantém-se, assim, na última posição da tabela classificativa da I Liga, embora tenha mostrado argumentos para conseguir um resultado melhor em Vila do Conde.

Num terreno usualmente complicado, até foi o Portimonense o primeiro a marcar. Aos 24 minutos, Tabata serviu Dener com um cruzamento de trivela e o médio da equipa algarvia não perdoou.


O Rio Ave estava com dificuldades em criar perigo e o Portimonense até podia ter ampliado a vantagem, mas o guarda-redes Leonardo negou o golo a Tabata.

Os algarvios foram para o intervalo a ganhar e sem ter sofrido grandes sobressaltos. Mas, no regresso, o Rio Ave não demorou muito a chegar ao empate.

Logo aos 48 minutos, Gabrielzinho foi mais rápido do que Manafá a chegar a uma bola que rechaçou num defesa do Portimonense, dentro da área.


O Portimonense continuou a procurar o golo, mas, aos 58 minutos, viu o árbitro marcar grande penalidade a favor do Rio Ave e a dar ordem de expulsão a Lucas Possignolo, por falta sobre Galeno.

Após consulta ao vídeo-árbitro, o juiz da partida voltou atrás com a decisão de assinalar o castigo máximo, mas manteve o cartão vermelho direto ao defesa do Portimonense, por considerar que derrubou o jogador adversário quando este seguia isolado em direção à baliza.

A jogar com dez, o Portimonense tentava segurar a bola e segurava o maior ímpeto vila-condense como podia.

O final da partida aproximava-se, mas ainda houve tempo para nova expulsão, neste caso de Manafá. Aos 86 minutos, o jogador dos algarvios fez falta à entrada da área e o árbitro deu um cartão amarelo ao seu colega Rúben Fernandes. Avisado pelo vídeo-árbitro do erro que cometeu, Artur Soares Dias emendou a mão e deu o segundo amarelo a Manafá.

A segunda parte foi marcada por muitas paragens, pelo que o tempo de descontos foi avultado: seis minutos. O Rio Ave apertou o cerco e acabou por marcar ao minuto 90 + 6, por intermédio de Gelson Dala.

O Portimonense somou, assim, nova derrota, desta feita com um sabor amargo, pelo muito que fez para merecer melhor sorte.

Comentários

pub
pub